Exumações têm repercussão internacional

Sites noticiosos e jornais do mundo todo repercutiram a notícia da exumação inédita, para estudos, de Dom Pedro I e suas duas mulheres - Dona Leopoldina e Dona Amélia. O assunto ganhou espaço na mídia portuguesa, inglesa, chinesa e até em site americano destinado à comunidade imigrante de Gana.

O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2013 | 02h03

O site do jornal português Público destaca que os exames realizados pelo Hospital das Clínicas na imperatriz Leopoldina comprovaram que ela não tinha, ao contrário do que afirmavam alguns relatos, nenhum osso quebrado. "As ossadas de Dona Leopoldina, primeira mulher de Dom Pedro I do Brasil, Dom Pedro IV, em Portugal, não possuíam marcas de fracturas, desmentindo a versão de historiadores que apontam uma queda, em consequência de uma discussão com o marido, como causa da morte", diz o texto.

Em oito parágrafos, o site China Daily descreve os principais pontos do trabalho realizado pela historiadora e arqueóloga Valdirene do Carmo Ambiel. A reportagem aponta como um dos principais achados do estudo a comprovação de que Dom Pedro I tinha quatro costelas quebradas e "um corpo atlético". Um extenso texto também foi publicado no site do britânico Daily Mail, com fotos do estudo e perfil biográfico do imperador brasileiro - aqui, um erro, aliás: a foto de Dona Amélia, mumificada, é legendada como se fosse de Dom Pedro I. O mesmo conteúdo foi reproduzido pelo site americano Ghana Nation. / E.V. e V.H.B

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.