Expressos turísticos vão ser semanais

Hoje, os trens para Mogi, Paranapiacaba e Jundiaí saem em dias alternados

NATALY COSTA, O Estado de S.Paulo

02 Novembro 2011 | 03h02

O governo de São Paulo quer aumentar a regularidade dos Expressos Turísticos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) para a Região Metropolitana e o interior. A ideia é tornar semanais os trajetos que saem da Estação da Luz para Mogi das Cruzes, Paranapiacaba e Jundiaí, hoje com frequência alternada: o de Mogi sai uma vez por mês; o de Paranapiacaba, três; o de Jundiaí, a cada 15 dias.

A frequência intermitente dos trens acontece porque todos os passeios, além de dividir espaço nos trilhos com os trens urbanos da CPTM, usam a mesma locomotiva: uma Alco RS-3, de 1952, com dois vagões e 174 poltronas. "Essas viagens alternadas confundem um pouco. Às vezes, a pessoa quer ir para um lugar, quando vai na estação comprar a passagem não é na semana que ela queria, é na outra. Então, a nossa vontade é tornar a frequência regular", afirma o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes.

O secretário disse ainda que novos destinos, como São Roque, no interior, estão em análise. Em 2010, o governo anunciou a criação de um trem para passeios religiosos para a cidade de Aparecida. Até hoje não saíram do papel. "A prioridade é melhorar o serviço dos já existentes."

Em julho, o Estado mostrou que faltam lugares para quem quer viajar em qualquer um dos trechos. E continua assim: no site da CPTM (www.cptm.sp.gov.br) nem para Mogi das Cruzes, o destino menos procurado, havia vaga em novembro ou dezembro. Para Jundiaí, a viagem do dia 19 (daqui a mais de duas semanas) ainda tinha lugares disponíveis. Se a escolha for Paranapiacaba, para onde o trem vai com mais frequência, só há um assento especial para deficientes físicos com vaga para o dia 18 de dezembro. Antes disso, todos os trens já estão lotados.

"Planejamos para o ano que vem a compra de mais trens. Só que leva de 18 a 24 meses para ficar pronto, então, mesmo comprando ano que vem, eles ainda demoram para entrar em operação", diz Fernandes.

Interior. Hoje, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o secretário estarão em Pindamonhangaba, no interior paulista, para anunciar R$ 4 milhões em investimentos em um outro trem turístico: o que vai para Campos do Jordão, com saída nos fins de semana e feriados. O governo vai fazer a manutenção dos trilhos da Estrada de Ferro Campos do Jordão, que tem 47 km e por onde também passa o trem para Santo Antônio do Pinhal.

Por causa de um deslizamento de terra, a ferrovia ficou interditada durante a alta temporada de inverno. Foram gastos R$ 2,9 milhões em obras emergenciais e as viagens foram restabelecidas no mês passado. "Queremos sair de 150 mil passageiros por ano e chegar a 500 mil", afirma o secretário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.