Mastrangelo Reino/Divulgação
Mastrangelo Reino/Divulgação

Expo 2020: SP vai abrir escritório em Paris

Cidade apresentou ontem sua candidatura a sede da Exposição Universal; plano é criar Piritubão e ter 30 milhões de visitas

Mário Camera - especial para O Estado de S. Paulo,

23 de novembro de 2012 | 02h14

PARIS - Com o tema Força da Diversidade, Harmonia para o Crescimento, São Paulo defendeu ontem em Paris sua candidatura a sede da Exposição Universal de 2020 (Expo 2020) diante de integrantes do Escritório Internacional de Exposições (BIE). A apresentação foi simples e a delegação brasileira preferiu investir em uma comitiva com peso político, formada pelo prefeito, Gilberto Kassab, o eleito, Fernando Haddad, o ministro de Relações Exteriores, Antônio Patriota, e o secretário-geral da Casa Civil do Estado, Sidney Beraldo.

A delegação anunciou que vai abrir escritório em Paris no início de 2013. É uma maneira de tentar angariar votos no BIE e recuperar o tempo perdido em relação à concorrência - a capital é a única no páreo sem representação na cidade. A ideia é formar um comitê nos moldes dos da Copa e da Olimpíada. "Precisamos de trabalho político, de escritório, de diplomata destacado pelo Itamaraty quase que exclusivamente para a função e profissionais com experiência em abordar delegados que vão votar", explicou Haddad, após apresentação de São Paulo e outras quatro candidatas: Dubai, nos Emirados Árabes, Izmir, na Turquia, Yekaterinburgo, na Rússia, e Ayutthaya, na Tailândia.

São Paulo foi a quarta a defender seu projeto. Kassab discursou primeiro, logo após um vídeo mostrar a diversidade de uma cidade "cosmopolita, criativa e futurista", que tem "inverno brando e muito sol" (dados importantes por se tratar de evento de seis meses de duração). Em seguida, Haddad afirmou seu "compromisso de continuidade" com o projeto e previu 30 milhões de visitantes caso a capital seja sede da Expo 2020.

Um segundo vídeo marcou a metade da apresentação. Nele, os três aeroportos que servem a cidade apareceram como vantagem caso a capital receba tantos visitantes. O filme terminou mostrando imagens do projeto de um centro de convenções e exposições de 5 milhões de m² em Pirituba.

Antes de Patriota encerrar os discursos, Beraldo falou sobre a importância da saúde, educação e segurança para que as pessoas possam ter "vida digna", um dos valores defendidos pelo BIE.

Indagado pelo Estado sobre a onda de violência na Grande São Paulo, esquivou-se, dizendo que o governo estadual é responsável só pela mobilidade urbana e acesso da Expo 2020 - os investimentos são orçados em R$ 4,4 bilhões e devem ir principalmente para renovação das malhas rodoviária e ferroviária metropolitana e construção de uma estação de metrô na Vila Clarice. "Esse ponto (a violência) não pesará, não atrapalhará uma decisão dessa natureza", afirmou.

A próxima etapa do processo será em março, quando representantes do BIE farão visita de inspeção a São Paulo. A votação final será em novembro de 2013.

A próxima Exposição Internacional, que acontece entre as Expos e dura três meses, será em Astana, capital do Cazaquistão.

Mais conteúdo sobre:
expo 2020SPParis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.