Explosão de tanque mata 2 operários em usina de Guarulhos

Quatro bombeiros também precisaram ser socorridos, depois de passarem muito tempo inalando fumaça tóxica

O Estado de S. Paulo,

06 Setembro 2012 | 13h17

Texto atualizado às 22h53.

SÃO PAULO - A explosão de um tanque de ácido clorídrico deixou dois operários mortos e pelo menos outros cinco funcionários intoxicados nesta quinta-feira, 6, em uma usina de Guarulhos, na Grande São Paulo. Quatro bombeiros que participaram da operação também precisaram ser socorridos, depois de passarem muito tempo inalando fumaça tóxica.

O acidente aconteceu por volta do meio-dia, na fábrica da Usiquímica, no bairro de Cumbica. Estima-se que cem pessoas estivessem no local no momento da explosão. Até o início da noite de ontem, a indústria não havia se manifestado nem informado o motivo da explosão.

Segundo o Corpo de Bombeiros, 45 homens, em 15 viaturas, participaram da operação. A Rua da Lagoa, na altura do número 400, onde fica a fábrica, precisou ser interditada. A Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) também foi acionada e iniciou uma investigação para apurar as causas da explosão.

Inaugurada em 1943, a empresa fabrica produtos químicos usados geralmente no setor de metalurgia, como amônia e soda cáustica, além de ácido clorídrico. Tóxico e corrosivo, o contato com esse produto pode causar queimaduras à pele e, se ingerido ou inalado, pode levar à morte.

Socorro. As vítimas chegaram a ser socorridas a hospitais de Guarulhos e de São Paulo, mas não resistiram aos ferimentos. Segundo a prefeitura, um dos operários sofreu uma parada cardiorrespiratória.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.