Explosão de pedreira fere dois e atinge 28 imóveis no interior

Casas em um raio de até 2 km foram atingidas por pedras que pesam até 10 quilos

Jair Aceituno, de O Estado de S. Paulo,

04 de setembro de 2008 | 16h00

Duas pessoas ficaram feridas e 28 imóveis foram atingidos por pedras que voaram na manhã de quarta-feira, 3, após uma explosão na Pedreira Nova Fortaleza, em Pederneiras, a 25 quilômetros de Bauru. Casas em um raio de até 2 km foram atingidas. O trabalhador Luiz Francisco Arena sofreu ferimentos na cabeça e no ombro e levou 11 pontos cirúrgicos. Geralda Goreti, que aguardava uma audiência na Vara do Trabalho, foi atingida no braço. Ambos foram atendidos no pronto socorro da cidade. Além do prédio da Justiça do Trabalho e de um posto de combustíveis, as pedras - algumas pesando aproximadamente 10 quilos - atingiram casas e provocaram pânico entre os moradores. A cozinha da casa de Aparecida Arena, mãe de Luiz Francisco, foi inteiramente destruída. Parte do telhado veio abaixo e inutilizou gêneros alimentícios e móveis, que restaram misturados a um monte de entulhos. O gerente da pedreira, Jose Bertolini, disse que a empresa funciona no local há 30 anos e tem todas as autorizações exigíveis para realizar explosões onde retira britas para a construção civil. A extração ocorre a cada dois dias e, até agora, não havia provocado acidentes. Técnicos da própria empresa e do fornecedor de dinamite estudam o acontecimento, ao mesmo tempo em que aguardam o laudo da Polícia Científica para providências. A empresa comunicou aos atingidos que indenizará todos os danos e despesas decorrentes do acidente. O delegado José Caludinei Salvadeo disse que também aguarda os laudos, que saem em 30 dias, para definir os procedimentos policiais. Se o levantamento apontar para o uso irregular do explosivo, os responsáveis serão indiciados por crime de explosão.

Tudo o que sabemos sobre:
explosãointerior de SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.