Explosão de gás na Aclimação fere 5

Acidente ocorreu em obra da Sabesp, que avalia vazamento na rede da Comgás; moradores dizem que pela manhã já sentiam cheiro de gás

Ana Bizzotto, Eduardo Reina, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2010 | 00h00

Uma explosão numa obra de esgoto da Sabesp na Rua Bueno de Andrade, na Aclimação, zona sul, deixou cinco trabalhadores feridos, um em estado grave, com queimaduras pelo corpo. O acidente ocorreu por volta das 15h40, quando um túnel de 3,6 metros de profundidade era escavado. A tubulação da Comgás estaria a 2 metros da superfície.

Vizinhos da obra contaram que haviam sentido cheiro de gás. "Hoje de manhã, uma moradora comentou que sentiu o cheiro quando passou na calçada. À tarde, teve a explosão", disse o porteiro Eduardo da Costa Cruz, de 30 anos, que trabalha no Condomínio New Orleans, na frente do local do acidente.

A explosão chegou a chacoalhar portas e janelas, assustando as pessoas. "Duas mulheres que estavam indo para o ponto de ônibus voltaram correndo por causa do susto", contou Cruz.

Todos os feridos são funcionários de uma empresa que presta serviços ao governo do Estado, a MND Construções. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, dois homens foram encaminhados ao Hospital do Servidor Público Municipal Vergueiro. Um deles, de 26 anos, teve queimaduras leves e seu quadro era estável. O outro, de 19, foi transferido para um hospital especializado em tratamento de queimaduras. Seu quadro é regular. Outro homem, de 24, foi levado à Santa Casa. Segundo a Assessoria de Imprensa do centro médico, ele teve 10% do corpo queimado e foi submetido a exames. Seu quadro é estável. Outros dois operários foram liberados.

"Não se sabe o que provocou a explosão", explicou o gerente do Departamento de Serviços da Sabesp, Hélio Padula. Uma das hipóteses levantadas é a de que havia algum tipo de vazamento de gás na tubulação. O produto teria escapado e se acumulado no buraco após a escavação, quando alguma faísca elétrica detonou a explosão, segundo Padula. Outra hipótese é que algum vazamento possa ter sido formado a partir de um bolsão de gás no subterrâneo. A Sabesp informou que nenhum imóvel vizinho foi afetado.

CRONOLOGIA

SP já registrou vários casos

27 de fevereiro de 2007

Após vazamento de gás, três bueiros explodem no Cambuci, área central da capital paulista. Um carro é atingido pelos estilhaços.

29 de março de 2007

Uma retroescavadeira rompe uma tubulação de gás em Santo Amaro, na zona sul. O vazamento só foi controlado duas horas depois.

29 de junho de 2009

Durante as obras de ampliação da Marginal do Tietê, o rompimento de tubulação de gás natural por uma retroescavadeira prejudica o trânsito.

7 de julho de 2009

Oito dias depois, na mesma obra, outro rompimento, desta vez em uma tubulação de gás natural veicular (GNV).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.