Explosão de gás mata um e fere 2 na Vila Mariana

Acidente aconteceu em cozinha de bar. Vigia que tomava café morreu e cozinheira e dono sofreram queimaduras

Marcela Spinosa, O Estado de S.Paulo

02 Fevereiro 2011 | 00h00

Uma pessoa morreu e duas ficaram feridas ontem em uma explosão na cozinha de um bar na Rua Vergueiro, Vila Mariana, na zona sul. As causas do acidente ainda são investigadas, mas a principal suspeita é a de que um vazamento de Gás Liquefeito do Petróleo (GLP), o gás de cozinha, provocou a explosão.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu às 6h30 na cozinha do bar, nos fundos do imóvel. Naquela hora, o segurança José Barbosa da Cruz, de 59 anos, tomava café da manhã no local e a cozinheira Lucilene Rosa de Souza, de 31, estava com o dono do estabelecimento, José Jorge Souza Lourenço, de 56, no cômodo que explodiu.

Para a polícia, o segurança deve ter corrido do bar no momento da explosão e, ao chegar à rua, teria sido atropelado. O corpo de Cruz não apresentava queimaduras. Ele sofreu um corte profundo na perna e traumatismo craniano e tinha marcas na região do peito. O taxista Edvaldo Carneiro do Nascimento, de 49 anos, testemunhou a explosão. "Ele não foi atropelado. Foi jogado para fora do bar com a força da explosão e bateu a cabeça", disse. Lourenço e Lucilene sofreram queimaduras e foram levados para hospitais da região.

A perícia acredita que o dono do bar e a cozinheira provavelmente trocavam a mangueira do botijão de gás. "Ela está desprendida do botijão. Tinha uma nova ao lado do botijão e outra destruída", disse o perito Lourenço Trapé. Segundo os bombeiros, os acidentes envolvendo botijões de gás são comuns. Entre janeiro e agosto de 2010 foram registradas 754 ocorrências desse tipo.

PRESTE ATENÇÃO

1. Coloque o botijão em local ventilado, de preferência do lado de fora do imóvel. O local deve ser livre de qualquer tipo de fogo (vela, fósforos, isqueiros ou cigarros). A mangueira deve ter no máximo 80 cm e ser certificada pelo Inmetro.

2. O teste da esponja é uma boa alternativa para verificar eventuais vazamentos. Quando desconfiar ou após a instalação do botijão, basta passar uma esponja com espuma na válvula. Se bolhas se formarem, feche o registro de gás.

3. Em caso de vazamento, não acione interruptores de eletricidade nem acenda fósforos ou isqueiros. Se o ambiente for fechado, abra portas e janelas e entre em contato com a distribuidora de gás ou o Corpo de Bombeiros (tel. 193).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.