Explosão de gás fere 3 e interdita quatro casas

Acidente ocorreu na Vila S. Maria, zona norte de SP, quando aposentada acendeu fogão; Defesa Civil diz que não há risco de imóveis desabarem

Felipe Oda, O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2010 | 00h00

Uma explosão provocada pelo vazamento de gás de cozinha interditou quatro casas e feriu levemente três pessoas ontem na Vila Santa Maria, zona norte da capital paulista. De janeiro até o início de outubro, os bombeiros registraram 855 ocorrências de vazamento de gás. A corporação atende, em média, 3 casos por dia.

A aposentada Maria Regina do Nascimento, de 78 anos, disse que ao tentar acender o fogão, à 1h30, sua casa explodiu. Ela teve queimaduras de primeiro e segundo graus em braços, pernas, pés e nádegas. Foi atendida no Hospital Geral de Vila Penteado, zona norte, e liberada.

Outros três imóveis foram danificados pela explosão, que destruiu paredes, telhados e janelas. "As quatro casas ficam no mesmo terreno", afirmou a vizinha de Maria Regina e auxiliar de cozinha Maria Antonia Rocha, de 54 anos.

Por meio de nota, o Corpo de Bombeiros explicou que não houve explosão de botijão, mas de gás que estava no imóvel. Na hora do acidente, 21 pessoas estavam no local. Duas crianças, de 9 e 10 anos, também ficaram feridas. "Por sorte meus filhos só machucaram os pés com os estilhaços de vidro", disse a auxiliar de limpeza Alcione Batista de Jesus, de 30 anos.

Dona do terreno onde estão as casas, Alcione quer mudar. "É a terceira vez que acontece uma tragédia." Segundo ela, há um ano as casas pegaram fogo e depois foram atingidas por uma forte chuva.

Segundo a Defesa Civil, não há risco de desabamento. Mas os moradores só poderão voltar para casa após reformar os imóveis atingidos. O caso foi registrado no 13.º DP (Casa Verde).

PARA LEMBRAR

Desabamento no Rio matou 4 no sábado

Um vazamento de gás seguido de explosão é uma das hipóteses da investigação sobre a causa do desabamento de um prédio de três andares e duas casas em Cidade Nova, centro do Rio, na manhã do dia 30, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Quatro pessoas morreram e 15 ficaram feridas no acidente. A moradora Marilda Aparecida Thomas, de 45 anos, reclamou do "cheiro fortíssimo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.