Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

O tanto que há para fazer em São Paulo

Vem a São Paulo a negócios? Quer viajar por sua própria cidade? Eis as dicas desta semana

Daniel Fernandes, O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2019 | 06h00

Caro leitor,

uma vez li um texto que dizia existir mais de três mil músicas que retratam São Paulo de alguma forma. É muita coisa! Óbvio que não lembro sequer de 1% delas. Lembro das mais conhecidas: ‘Trem das Onze’, de Adoniram Barbosa, ‘Sampa’, de Caetano Veloso. E daquelas que têm algum significado pessoal. ‘Não existe Amor em SP’, de Criolo, e ‘São Paulo’, da banda 365, são duas delas.  

Mas São Paulo é mais complexa, mais alegre e triste do que letras e músicas – ainda que sejam 3 mil – podem mostrar fielmente. Duvida? 

O propósito deste espaço, a partir de agora, é mostrar a São Paulo nem sempre desconhecida, mas certamente fascinante. Para quem mora por aqui e para quem visita esse espaço onde vivem mais de 12 milhões de pessoas. E não há época melhor para lançar essa coluna, afinal, a cidade que é um pouquinho de todos os brasileiros está perto de completar mais um aniversário no dia 25 de janeiro. A propósito, caro leitor, esse material publicado pelo Acervo do Estadão é de 2013, mas muito interessante. Vale lembrar quais foram os presentes que a cidade já ganhou de aniversário. Se você pensou na Catedral da Sé, acertou. Se pensou no Mercadão, também. Mas aposto que tem muito presente – até de grego – que  você jamais desconfiaria.

Mas independentemente dos pontos turísticos mais conhecidos, São Paulo é uma cidade que se conhece aos poucos. Vamos começar o tour de hoje por um dos mais tradicionais pontos de chegada da metrópole, o Aeroporto de Cumbica. Levantamento muito bacana da repórter Mônica Nóbrega mostra que o aeroporto abriga cinco serviços que, apostamos, você não sabia que existiam por lá. Um deles é uma barbearia, que funciona das 7h às 22h, de segunda a sexta-feira, e cobra R$ 55 para fazer a barba dos clientes.

Há bares e restaurantes por lá também, mas a cidade oferece muito mais no quesito etílico – e não vale a pena ficar por lá de qualquer forma. O Divirta-se, por exemplo, selecionou, recentemente, oito bares novos em folha para conhecer na cidade. Atrás de uma fachada discreta, em Pinheiros, está o Bar Botânico. A ideia é que ele busque aproximar o público da natureza, uma boa pedida em uma cidade marcada, é preciso dizer, pelo cinza do concreto. A casa conta com comanda individual – boa pedida quando se trata de grandes grupos de amigos ou familiares – e aposta em drinques próprios como o ‘Gintânica’. Ele custa R$ 25 e leva gim, creme de cacau, maã, uva e capim-santo. Que tal descobrir mais bares e se divertir um pouco?

 Por falar em bebidas, o desejo de Heloisa Lupinacci, a pessoa que mais entende de cervejas no Paladar, é parecido com o de muitos paulistanos. Às vezes, tudo o que precisamos é comprar cerveja de maneira mais fácil, com mais frescor e menos frescura. Uma dica da Heloisa: dia desses ela achou uma ‘Tupiniquim Summer IPA’ no supermercado Zaffari, que funciona dentro do Shopping Bourbon, por R$ 5,95. Se quiser conhecer tudo sobre o universo cervejeiro, que tal acompanhar a Helô no Estadão.  Não vamos nem começar a falar sobre os restaurantes, dá para passar o ano inteiro visitando lugares diferentes e isso certamente tem de ser explorado melhor neste espaço. Mas se quiser um panorama rápido, vale muito escutar a editora do Paladar, Patricia Ferraz e o seu ‘Por Aí’ na Rádio Eldorado.

 Mas se o seu barato é ficar em casa, nossa sugestão para a semana pode precisar de medidas mais demoradas. Será que não é o caso de aproveitar a cidade como moldura para a sua nova casa? Que tal mudar ou mudar o lugar onde você mora?  O Casa aproveitou o fim do ano para mostrar como um apartamento de 40 metros quadrados, que fica no 23º andar de um edifício na Aclimação, bairro da Zona Sul da Capital, aproveitou a vista panorâmica da cidade para que ela fosse o fio condutor da reforma. (repare que o céu cinzento das fotos é a cara de São Paulo).

 

Seja lá qual for a sua praia, embora a cidade não tenha uma específica e muitas figurativas, São Paulo merece ser explorada no dia a dia, aos poucos. E isso fica melhor com uma trilha sonora. Pode ser uma música sobre São Paulo, ou pode ser qualquer outra que faça sentido para você. Eu gosto de andar pela cidade ao som de Tomorrow Never Knows’, dos Beatles.

Até a semana que vem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.