Fernando Priamo/Tribuna de Minas
Fernando Priamo/Tribuna de Minas

Exército põe guaritas e barricadas no Alemão

Barreiras nos acessos do complexo servirão para proteger tropas de eventuais ataques

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2010 | 00h00

O Exército começou ontem a instalar barricadas e reforçar a estrutura necessária para ocupar o Complexo do Alemão por tempo indeterminado. Homens da Brigada de Infantaria de Paraquedistas ergueram barreiras de sacos de areia na Estrada do Itararé, um dos principais acessos aos conjunto de favelas, para garantir a proteção das tropas.

Ontem, foi publicada a determinação presidencial de estender, por tempo indeterminado, a missão nos Complexos do Alemão e da Penha. Para facilitar o "cerco e isolamento" e aprimorar a fiscalização de veículos e pedestres que circulam pela região, também devem ser instalados guaritas, postes de iluminação e outras barreiras. Segundo o coronel Ênio Zanan, chefe de Comunicação do Comando Militar do Leste, equipamentos deverão ser levados a todos os acessos do Alemão.  

 

Veja também:

linkPreso suposto chefe do tráfico na Favela da Fazendinha, no Alemão

mais imagens Veja fotos da onda de ataques no Rio

especialINFOGRÁFICO - O mapa das facções cariocas

tabela CRONOLOGIA - A crise de violência carioca

 

  No complexo, grande quantidade de cocaína foi encontrada nesta sexta-feira, escondida sob o piso de um barraco abandonado. Os agentes apreenderam 30 quilos da droga prensada, o que poderia render aos traficantes cerca de R$ 3 milhões. O dono da casa ainda não foi identificado. Mais uma metralhadora foi apreendida e cães farejadores também ajudaram a polícia a achar 11 quilos de maconha.

A Polícia Civil do Rio ainda divulgou à noite um balanço de prisões e apreensões feitas desde o início das operações de combate ao tráfico de drogas na cidade. Entre o dia 21 de novembro e quinta-feira, foram recolhidas 466 armas - 136 fuzis, 35 metralhadoras, 18 submetralhadoras, 169 pistolas, 56 revólveres, 18 carabinas e 34 espingardas. Além disso, foram encontradas 38 granadas, 6 bombas artesanais e 9 objetos identificados apenas como "materiais bélicos". Também foi registrada a apreensão de 33,8 toneladas de maconha, 313,9 quilos de cocaína, 1,9 quilo de haxixe e 54 quilos de crack e a polícia destacou a prisão de 118 pessoas - 84 por associação para o tráfico.

Transferência. Ontem, mais uma pessoa envolvida com o tráfico foi transferida para fora do Estado do Rio de Janeiro. Sandra Helena Ferreira Gabriel, a Sandra Sapatão, foi levada para a Penitenciária de Campo Grande, em Mato Grosso. / COLABOROU TÂNIA MONTEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.