Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Exército ocupa Sabesp em exercício para garantia da ordem

Simulado dos militares tem objetivo de proteger equipamentos vitais, como sistema de abastecimento e torre de telecomunicações

Bruno Ribeiro e Paula Felix, O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2015 | 12h07

Atualizada às 20h28

SÃO PAULO - Cem homens do Exército ocuparam nesta quarta-feira, 27, a sede da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. A tomada da estatal pelos agentes armados e seus veículos militares foi um exercício simulado para “garantia da lei e da ordem”, segundo comunicado do Comando Militar do Sudeste.

O objetivo da operação foi proteger itens de infraestrutura considerados estratégicos, como antenas de comunicação e subestações de tratamento de água e energia. Os comunicados sobre a ação, tanto do Exército quanto da Sabesp, não fizeram nenhum relação entre o exercício e a atual crise hídrica que atinge a Grande São Paulo.

Os homens, vindos da 2.ª Divisão do Exército, com sede em Osasco, chegaram à Sabesp por volta das 6 horas. Funcionários da companhia afirmaram que a presença dos militares surpreendeu os servidores. “Foi uma surpresa. Não é comum ter gente de fora aqui. O pessoal ficou perguntando o que tinha acontecido, mas, com o boca a boca, todo mundo ficou sabendo”, disse um funcionário que não se identificou. 

Outro profissional comentou que a ação não interferiu na rotina de trabalho. “Hoje, todo mundo está trabalhando normalmente, mesmo com o treinamento. Não mudou nada, até porque trabalhamos dentro dos prédios.” A Sabesp informou que “nenhum dos militares assumirá qualquer função desempenhada por empregados da companhia”.

Segundo nota da seção de comunicação social do Comando Militar do Sudeste, exercícios como os desta quarta fazem parte de uma rotina chamada “Exercícios de Adestramento em Operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO)”. 

Esses exercícios ocorrem uma vez por ano, em locais considerados vitais para a soberania nacional, desde 1989. No ano passado, a simulação foi em represas do Sistema Alto Tietê, em Salesópolis, no oeste da Grande São Paulo, operadas pela Sabesp e responsáveis por abastecer 4,5 milhões de pessoas. As ações são programadas e realizadas com autorização dos gestores das instalações a serem “protegidas” durante a simulação. 

Tudo o que sabemos sobre:
sabespcrise da águaexército

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.