Exército destruirá as 2 t de fogos apreendidos em Santo André

Material pertence ao dono da loja que explodiu semana passada, matando duas pessoas e ferindo outras 12

Priscila Trindade, Central de Notícias

02 de outubro de 2009 | 18h35

O juiz Luiz Francisco Del Giudice, da 3ª Vara Criminal de Santo André, determinou a destruição das duas toneladas de fogos de artifício apreendidas na quinta-feira pela Polícia Militar. O material estava na oficina mecânica de Sebastião Fernandes e pertence ao cunhado dele, Sandro Castellani, dono da loja que explodiu na semana passada na cidade do ABC paulista, matando duas pessoas e ferindo outras 12.

 

Veja também:

link Fogos de artifício causam 23 incêndios por mês em SP

link ''O risco de explosão era total'', diz tenente

link Castellani chorou na missa do primo

 

Os artefatos serão encaminhados para o Exército, que se responsabilizará pela destruição dos explosivos. As 310 caixas com os produtos estavam escondidas nos fundos da oficina, perto de produtos inflamáveis, como tintas, solventes e acetileno (usado em maçaricos). Os policiais chegaram ao local após uma denúncia anônima de que o proprietário havia recebido os fogos de artifício.

 

Castellani e seu cunhado assinaram um Termo Circunstanciado por armazenar os produtos e não foram presos. Segundo a polícia, a lei não prevê prisão para casos de armazenamento de explosivos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.