Executivo reage a assalto e é morto em São Sebastião

Menor de 17 anos invadiu a casa de veraneio; vítima tentou desarmá-lo e foi atingida na cabeça

Simone Menocchi, da Agência Estado,

31 de dezembro de 2007 | 17h27

O executivo Ed Carlos Queiroz Amaral, de 39 anos, que seria um dos diretores do Banco Bradesco, teve morte cerebral nesta tarde, depois de reagir a um assalto na madrugada de segunda-feira, 31. Uma mulher e uma menina de cinco anos, da mesma família de Amaral, também foram baleadas durante um assalto à casa de veraneio, no bairro de Cambury, na costa sul de São Sebastião, no Litoral Norte.   O grupo de dez pessoas havia chegado de São Paulo para passar o réveillon na praia. Por volta das uma da manhã, um menor de 17 anos pulou o muro da residência, invadiu a casa armado com um revólver 38 e anunciou o assalto.   Os veranistas ficaram assustados e pediram que o menor não fizesse nada com a arma. Queiroz teria tentado desarmar o menor, que fez os disparos. O executivo foi atingido na cabeça. As outras duas vítimas atingidas com tiros de raspão foram medicadas e passam bem.   Depois dos disparos, o menor fugiu sem levar nada. As outras pessoas que estavam na casa chamaram a Polícia Militar. No início da manhã, o adolescente acabou preso no bairro Boiçucanga e confessou o crime.   "O menor morava na região de Boiçucanga e foi encaminhado para uma cela da delegacia de Caraguatatuba", informou o delegado seccional do Litoral Norte, José Francisco Rodrigues. De acordo com o delegado, casos de latrocínio são raros na região de Cambury e em toda São Sebastião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.