Executivo morre de ataque cardíaco após carro ser atingido por objeto na Fernão Dias

Polícia acha que vice-presidente da multinacional Sinto do Brasil, Hiroshi Yamazaki, de 59 anos, tenha sido alvo de bandidos

Luciano Bottini Filho, O Estado de S. Paulo, O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2013 | 16h57

SÃO PAULO - Após um objeto ser lançado contra seu carro, o vice-presidente da multinacional Sinto do Brasil,  Hiroshi Yamazaki, de 59 anos, teve um ataque cardíaco e morreu no km 85 da Rodovia Fernão Dias, na noite de terça-feira, 29. A polícia suspeita que ele tenha sido vítima de uma estratégia comum na região, em que bandidos provocam acidentes de motoristas atirando objetos para assaltá-los.

O veículo, um Audi A4,  foi encontrado por uma testemunha na estrada, na região do Jaçanã, zona norte de São Paulo, por volta das 22h30. A equipe de uma ambulância da concessionária Autopista Fernão Dias constatou a morte do Yamazaki no local. 

O para-brisas foi atingido por um tijolo revestido por cimento no lado do motorista. Yamazaki voltava da empresa, uma produtora de equipamentos de fundição, com subsidiária no Brasil. Segundo funcionários, ele era cardiopata e não resistiu ao susto.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, não havia protestos no trecho da rodovia quando ocorreu a morte - a área teve na segunda-feira à noite uma série de atos de vandalismo por causa do assassinato de um adolescente por um disparo de uma arma de um PM no domingo.  O soldado Luciano Bispo Pinheiro, de 31 anos, está preso em flagrante por suposto homicídio culposo de Douglas Martins Ribeiro, de 17 anos.

O caso foi registrado no 73º DP (Jaçanã), que também investiga a série de depredações e saques que ocorreram na vizinhança durante as manifestações contra a violência da PM.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.