Executivo esquartejado teve nome usado em fraude de cartão de crédito

A Polícia Federal prendeu os dois principais líderes de uma quadrilha que fraudava cartões de créditos de pessoas que morreram recentemente. Entre os nomes usados pelo bando está o do diretor executivo da Yoki, Marcos Kitano Matsunaga, assassinado e esquartejado pela mulher, Elize, em maio, e do empresário Fernando de Arruda Botelho, acionista do grupo Camargo Correa que morreu em acidente aéreo no interior de São Paulo em abril.

O Estado de S.Paulo

27 de agosto de 2012 | 03h01

Segundo o Fantástico, o chefe do grupo, Thiago Cortez da Costa, foi preso em Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco. Costa é acusado pela PF de comprar dados dos mortos, como CNPJ e RG, e ligar para operadoras de banco para solicitar cartões de crédito.

O grupo passou a ser investigado em julho, quando começou a pedir dois novos cartões em nome de Matsunaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.