Execuções fazem taxa de homicídios disparar em Sorocaba

Nos quatro primeiros meses de 2014, número subiu 194% em relação ao mesmo período do ano passado

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

01 de junho de 2014 | 17h22

SOROCABA - O número de homicídios dolosos subiu 194%, em Sorocaba, nos primeiros quatro meses deste ano em relação ao mesmo período de 2013, segundo estatística da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. De janeiro ao final de abril deste ano, 56 pessoas foram assinadas na cidade, contra 19 no mesmo período do ano passado. Execuções em série possivelmente ligadas ao assassinato de policiais militares contribuíram para o aumento na estatística.

No final de abril, 14 pessoas foram mortas, a maioria com características de execução, horas depois do assassinato de um policial militar em uma emboscada. Dos seis suspeitos de matar o policial, quatro estão presos. À Polícia Civil, os acusados disseram ter atacado o PM para pagar uma dívida com a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). As mortes das outras vítimas ainda não foram esclarecidas.

Abril de 2014 foi o mês mais violento dos últimos cinco anos na cidade, com 25 assassinatos - em 2013 foram registrados cinco homicídios. Não entram nesse número seis homicídios dolosos ocorridos no trânsito. As vítimas foram atropeladas quando saíam de uma rave na rodovia Raposo Tavares, mas o caso foi registrado como de homicídio doloso porque o motorista causador do acidente estava bêbado.

Em março deste ano, 17 pessoas foram assassinadas, contra apenas duas em março de 2013. Alguns dos crimes desse mês também podem ter relação com a execução de um policial por criminosos, no dia 2, em uma feira livre da cidade. A maioria dos homicídios permanece sem elucidação. A Polícia Civil informou que todos os casos estão sob investigação.

Tudo o que sabemos sobre:
Sorocabahomicídiosexecuções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.