Exame também é requisito no Inglês sem Fronteiras

A obrigatoriedade do Enem também impede inscrições no Programa Inglês sem Fronteiras, criado pelo MEC depois que foi constatado que o domínio do idioma era uma dificuldade para quem pretendia viajar pelo Ciência sem Fronteiras (CsF).

Bárbara Ferreira Santos e Victor Vieira, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2013 | 02h09

O acesso à plataforma virtual de cursos My English Online fica restrito aos alunos de graduação com nota igual ou superior a 600 pontos em edição do Enem após 2009. O apoio do governo para aulas presenciais de inglês também não chega a todos. Na primeira fase do programa, participam só universidades federais que ofertam graduações de Letras com habilitação no idioma.

O programa, segundo a Capes, deve ser ampliado gradualmente às outras instituições. Para Laura Sterian Ward, coordenadora do CsF na Unicamp, as universidades estaduais deveriam receber igual apoio nos cursos de línguas e escritórios de internacionalização. "A ajuda financeira está sendo dada pelo CsF para implementar ensino de inglês nas federais apenas. As estaduais não recebem tal ajuda." Hoje, a oferta só é universal no teste de proficiência, o Toefl. O MEC aplica o exame gratuitamente.

Tudo o que sabemos sobre:
Inglês sem FronteirasEnem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.