Ex-vereador volta atrás nas acusações contra colegas

Em depoimento ontem ao Ministério Público Estadual, o ex-vereador Claudio Fonseca (PPS) recuou e tentou desmentir declarações que deu sobre o funcionamento da CPI do IPTU de 2009. Na terça-feira, ele afirmou ao 'Estado' que os vereadores Aurélio Miguel (PR) e Adilson Amadeu (PTB) faziam dilligências na CPI sem informar outros membros. E que a comissão era comandada por Miguel, Amadeu e o então vereador Antonio Donato (PT), hoje secretário de Governo de Fernando Haddad (PT). "Havia uma profusão de requerimentos sem explicação", disse na terça. Ontem, porém, Fonseca declarou à promotora Eliana Vendramini que Miguel e Adilson "agiam dentro da lei". Sobre Donato, afirmou não ter falado nada à imprensa.

O Estado de S.Paulo

22 de fevereiro de 2013 | 02h06

Fonseca foi procurado durante todo o dia de ontem pela reportagem, mas não retornou as ligações. Sua assessoria informou não tê-lo localizado.

O ex-vereador também declarou na terça-feira ter votado contra o relatório final da CPI do IPTU. Ontem, porém, a assessoria de Miguel apresentou notas taquigráficas que mostram o voto favorável de Fonseca, com ressalvas. Questionada, a assessoria de Fonseca admitiu que ele votou a favor do parecer final.

Procurado, Donato informou que não se pronunciaria. Já Amadeu negou ter participado de diligência sozinho com Miguel. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.