Ex-vereador morre ao pular de avião

Homem se desesperou quando aeronave, com problemas, fazia um pouso de emergência. Ele abriu a porta, saltou e foi atingido por hélice

Eliana Lima, Especial para o Estado, SALVADOR, O Estado de S.Paulo

16 Novembro 2011 | 03h02

Um ex-vereador da cidade de Condeúba, a 150 quilômetros de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, morreu ao saltar de um avião monomotor, na noite da segunda-feira, quando o piloto da aeronave realizava procedimentos de emergência para um pouso forçado.

Agnaldo José Pereira, de 44 anos, viajava em companhia de um primo e de um irmão, que pilotava a aeronave. Ele se desesperou em razão de um problema apresentado pelo monomotor. Os demais passageiros saíram ilesos após a aterrissagem do avião.

De acordo com informações da 80.ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/ Cândido Sales), o avião modelo PR ZCM-RV 10 apresentou uma pane quando tentava descer em uma pista particular, da fazenda Cajueiro, de propriedade do ex-vereador. A pista foi construída há cerca de dois anos e ainda não tem iluminação. Segundo a polícia, a vítima foi atingida por uma das hélices do avião e teve morte instantânea.

O primo de Pereira afirmou que o ex-vereador entrou em pânico ao saber do problema, abriu a porta e saltou. Ele era muito conhecido na região. Integrava a diretoria de uma ONG intitulada Voluntários do Sertão, que presta assistência a famílias no interior baiano. Pereira atuou como vereador entre os anos de 2000 a 2008. Era casado e tinha três filhos.

Avarias. De acordo com algumas pessoas que viram o acidente, a aeronave perdeu altura de forma rápida, mas ainda assim conseguiu pousar e teve apenas pequenas avarias na fuselagem.

A Polícia Civil também abriu investigação para apurar responsabilidades, mas somente deverá ouvir os parentes do ex-vereador na próxima semana.

Investigação. Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aeronáutica (Cenipa), regional Recife (Pernambuco), deverá ser enviada à cidade Condeúba, a 642 quilômetros de Salvador, ainda nesta semana para fazer uma avaliação técnica do monomotor, e determinar as causas da pane.

Um laudo conclusivo deve sair em 30 dias. O corpo de Agnaldo José Pereira foi velado na Câmara de Vereadores de Condeúba e sepultado na manhã de ontem na cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.