Ex-vereador diz que convocações não tinham justificativa

Único parlamentar que votou contra o relatório da CPI do IPTU em 2009, o ex-vereador e presidente do Sindicato dos Professores Municipais, Cláudio Fonseca (PPS), afirmou ontem que Aurélio Miguel convocava representantes de shoppings, universidades e concessionárias de carro sem apresentar qualquer justificativa à comissão. Em nove meses, foram 648 convocações, de gerente de sex shop a dono de construtora - média de 2,3 pessoas chamadas a depor por dia, somados os fins de semana e feriados. "Ele (Miguel) fazia diligências em hotéis de repente, sem nunca avisar o restante da comissão." O ex-vereador afirmou que havia uma "profusão" de requerimentos elaborados por Miguel e pelos outros dois parlamentares à frente da CPI: Antonio Donato (PT), atual secretário de Governo de Haddad, e Adilson Amadeu (PTB).

O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2013 | 02h01

"Eram os três que decidiam tudo na CPI. Sempre perguntava o motivo de tantas convocações (foram mais de 700 em 9 meses). Só me diziam que era com base em denúncias que chegavam aos gabinetes. Mas nunca vi nenhum papel com essas denúncias."/ D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.