Ex-secretário defende que sistema tenha 'plano B'

As delegacias deveriam contar com um plano "B" para atuar em situações de pane, na avaliação do coronel de reserva da Polícia Militar José Vicente da Silva Filho, ex-secretário Nacional de Segurança Pública.

11 de outubro de 2010 | 11h20

 

A alternativa, defende, seria a utilização de formulários comuns nos computadores para a coleta de informações.

 

"Daria mais trabalho, mas os policiais estão ali para trabalhar. Não há razão para culpar o cidadão, fazendo-o retornar (à delegacia para fazer a ocorrência)."

 

O coronel cita o processo eleitoral como exemplo: "Quando para uma urna eletrônica, usa-se o papel". A seu ver, se as delegacias adotassem esse recurso em quadros emergenciais, como a pane de ontem, o problema passaria a ser do Estado, responsável pela falha. "O cidadão não pode ser penalizado por isso", acrescentou o ex-secretário.

 

Planejamento. Uma segunda opção seria benéfica, segundo José Vicente, para não desestimular a comunicação de ocorrências à polícia. Os boletins de ocorrência (BOs), por exemplo, permitem que a Polícia Militar faça o planejamento do patrulhamento.

A pane, de acordo com Vicente, não chega a prejudicar o trabalho das polícias. "Para se tomar providências de emergência, a polícia não precisa do registro formal", explicou. "E as investigações têm mais prazo para serem iniciadas."

 

O cidadão pode registrar o boletim de ocorrência em outro dia ou, em casos de menor gravidade, como furtos de documentos e celulares, por meio da internet. Além disso, é possível prestar queixa em qualquer delegacia da cidade, independentemente do bairro onde houve o crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.