Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Ex-rainha de bateria é estrangulada pelo companheiro no interior de SP

Gláucia estudava psicologia e era conhecida na cidade por ter sido rainha de bateria. Ela foi atacada pelo companheiro, que disse ter agido por ciúmes e que foi preso em flagrante

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

27 Agosto 2017 | 19h44

SOROCABA – A estudante de psicologia Gláucia Marcedes de Machado, de 32 anos, ex-rainha da bateria de uma escola de samba, foi estrangulada e morta pelo companheiro, na madrugada deste domingo, 27, em Angatuba, interior de São Paulo. O autor do crime, o micro-empresário do setor de videomonitoramento Marcelo Oliveira, de 36 anos, alegou ter agido por ciúmes. Ele foi preso em flagrante. O crime chocou a cidade, onde a vítima era bastante conhecida. 

Gláucia e o companheiro estavam juntos na festa de noivado de uma irmã dela, num clube da cidade, na noite de sábado, 26. Testemunhas disseram que Marcelo era ciumento e teria discutido com ela. A discussão continuou após a festa, durante a madrugada, na casa do casal, no bairro Jardim do Paço. O rapaz disse à polícia que tentou conter a vítima, apertando seu pescoço, e ela desfaleceu. Ele pediu ajuda e a mulher chegou a ser socorrida, mas não resistiu.

Oliveira foi preso em flagrante e levado para o Cadeia Pública de Piraju. Ele vai responder por feminicídio – homicídio doloso praticado em razão da condição de mulher. Até a tarde deste domingo, o acusado não tinha advogado constituído formalmente.

A jovem cursava o último ano de psicologia e se formaria este ano. Ela ficou conhecida por ter sido durante muitos anos rainha da bateria da Escola de Samba Liberdade, uma das principais da cidade. A sambista desfilava desde os 15 anos e se apresentou pela última vez em 2015. O corpo foi submetido à necrópsia no Instituto Médico Legal (IML) de Itapetininga e estava sendo velado no Velório Municipal de Angatuba. O sepultamento estava previsto para as 19 horas, no Cemitério Municipal. Gláucia deixou um filho, Eduardo, de 15 anos, de relacionamento anterior.

Mais conteúdo sobre:
Angatuba [SP] Homicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.