Ex-presidiário esfaqueia mulher e se mata no litoral paulista

Corpo da diarista foi encontrado na sala, com marcas pelo corpo; homem estava enforcado no banheiro

Rejane Lima, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2008 | 18h21

O ex-presidiário Antonio Carlos Silva Moraes, de 43 anos, matou a mulher, a diarista Raimunda Andrade, de 44 anos, nesta quinta-feira, 13, com diversas facadas e depois se enforcou no Guarujá, na Baixada Santista. O casal se conheceu quando Raimunda prestava serviços evangélicos em carceragens. Eles moravam junto há três meses, desde que Moraes saiu da cadeia. O crime aconteceu por volta das 6 horas da manhã no bairro Morrinhos 2, em Vicente de Carvalho. A Polícia Militar foi chamada pelos filhos de Raimunda, que arrombaram a porta da casa da mãe quando perceberam que ninguém os ouviu batendo. Raimunda estava caída sob o sofá da sala com diversas perfurações no tórax, pescoço e antebraços. Ela usava roupas de dormir e a faca utilizada no crime estava no chão. Moraes foi encontrado enforcado no banheiro, com o corpo suspenso por um cabo de aço. Ele também tinha alguns cortes nos pulsos e no corpo, aparentes sinais de auto-esfaqueamento. De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 1.º Distrito Policial de Vicente de Carvalho, a investigação apurou que o casal estava dormindo em quartos separados e o relacionamento começou a se desgastar porque Moraes "tinha problemas com bebidas e não estava trabalhando desde que saiu da cadeia". Viúva, a vítima não contava aos filhos por qual o crime que o companheiro havia cumprido pena e não deixava que os jovens, de 24 e 22 anos, se intrometessem no relacionamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.