Ex-presidente é padrinho político

Bastidores: Paulo Favero

O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2012 | 02h06

A amizade entre Lula e Andrés Sanchez só tem aumentado, ainda mais por causa do amor em comum pelo Corinthians. Os dois se conheceram em 1983, quando um primo do ex-dirigente do clube alvinegro, o sindicalista Tadeu Oller, apresentou as duas figuras que só se aproximariam anos depois. Quando Andrés estava na vice-presidência do Corinthians, o contato passou a ser mais frequente e esquentou quando ele assumiu o comando do clube, em 2007.

Sanchez já era filiado ao PT e nos últimos anos passou a participar um pouco mais da vida política do partido. Enquanto isso, Lula também colaborava com a vida futebolística do Corinthians. O ex-presidente do Brasil foi homenageado no centenário do clube, em 2010, e ajudou a organizar a construção do futuro estádio em Itaquera, seja nas conversas com a Fifa e a construtora Odebrecht, seja na ajuda para resolver a engenharia financeira da obra.

Os dois viraram amigos e passaram a conversar mais por telefone. Lula até passou a elogiar o trabalho de Sanchez na CBF para o novo presidente, José Maria Marin. Após a derrota na final olímpica para o México, elogiou o amigo pela conquista da medalha de prata. De seu lado, Sanchez se esforçou na campanha e subiu no palanque de Fernando Haddad na disputa para a Prefeitura de São Paulo. O dirigente que chegou até a ser cotado para disputar a eleição deste ano agora sabe que pode deixar a CBF e ir para a secretaria de Haddad. Ele sabe que terá um bom padrinho político caso seja confirmado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.