Ex-PM é condenado a 56 anos por morte de jovens em Praia Grande

Crime aconteceu na Quarta-Feira de Cinzas em 1999; é a segunda vez que Conceição é julgado pelo crime

21 de setembro de 2007 | 07h08

O ex-soldado da Polícia Militar Humberto da Conceição foi condenado a 56 anos de detenção pelo assassinato de três jovens em Praia Grande, no litoral paulista, na Quarta-Feira de Cinzas de 1999. Neste segundo julgamento, Conceição teve uma pequena redução da pena. Em 2001, ele foi condenado a 59 anos de prisão. O novo julgamento ocorreu porque a pena foi superior a 30 anos. O advogado do réu, Celso Vendramini, disse que vai recorrer no Tribunal de Justiça. Em fevereiro 1999, com três outros policiais militares, Conceição abordou os jovens Anderson Pereira dos Santos, 14, Tiago Passos Ferreira, 16, e Paulo Roberto da Silva, 21, na saída de um baile de Carnaval no bairro de Itararé, em São Vicente. Alegando serem suspeitos de terem praticado roubos na região, os policiais os levaram a uma área de um mangue, em Praia Grande, e os executaram com tiros na cabeça. Os cadáveres só foram encontrados 17 dias depois. Testemunhas que presenciaram a detenção denunciaram os PMs que foram expulsos da corporação e entregues à Justiça Comum.

Tudo o que sabemos sobre:
Praia Grandeex-PMmorte de jovens

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.