Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Ex-perueiro, presidente de empresa de ônibus é assassinado em SP

Empresário Adalto Soares Jorge foi assassinado com dois tiros na cabeça na zona leste da capital. Transunião é uma das 32 empresas que operam ônibus na cidade

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2020 | 22h18

SÃO PAULO - O empresário Adalto Soares Jorge, presidente da concessionária Transunião, que opera ônibus na zona leste de São Paulo, foi assassinado com dois tiros na cabeça na tarde desta quarta-feira, 4. Ex-perueiro, Jorge é aliado há mais de 30 anos do vereador Senival Moura (PT), parlamentar que atua no setor de trasportes paulistano.

Segundo a Polícia Militar, Jorge foi encontrado na Rua Cônego Antônio Mando, no bairro Lajeado, com os ferimentos. Ao Estado, Senival disse que o amigo havia saído da empresa para ir ao banco. "Quando ele saiu (da agência), apareceu uma pessoa que a gente não sabe quem é e fez os disparos", disse o vereador. 

A Transunião é uma das 32 empresas que operam ônibus em São Paulo. Ela foi contratada pela gestão Bruno Covas (PSDB) no ano passado, após um processo de licitação que durou sete anos. A empresa é originária da legalização de peruas de ônibus ocorrida na década passada. 

Nesse processo de licitação, a área operada pela Transunião foi a única em que havia ocorrido disputa, com mais de uma empresa interessada em operar a região. A Transunião venceu a empresa Imperial, que também era formada por ex-perueiros. Em todos os demais 31 lotes, houve apenas uma empresa interessada.

Jorge tinha esposa e filho, segundo o vereador Senival. O Estado não conseguiu contato com a Polícia Civil para mais informações sobre o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.