Ex-mulher de diretor de hospital é baleada na zona sul da cidade

Polícia descarta hipótese de roubo, pois bandidos não levaram nada. Enfermeira deixava casa do pai quando foi atacada

Josmar Jozino/ JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

07 de setembro de 2010 | 00h00

A enfermeira Márcia Vasconcellos, de 45 anos, ex-mulher de um médico e diretor da unidade Morumbi do Hospital São Luiz, foi baleada por três homens na tarde de sexta-feira, na zona sul da cidade. Ela está internada e passará por cirurgias hoje.

A Polícia Civil descarta a hipótese de roubo, já que nada foi levado da vítima, e apura a tentativa de homicídio.

O pai de Márcia, Gustavo Caetano Rogério, de 70 anos, disse que a filha e o médico estão separados há três meses e chegaram a brigar na Justiça pela guarda da filha de 7 anos.

"Minha netinha fez aniversário hoje (ontem). Foi um atentado. Estamos apavorados", disse ele, aos prantos.

Procurada, a Assessoria do São Luiz disse que não poderia localizar o médico, porque o caso não tem qualquer relação com o hospital. A reportagem não conseguiu falar com ele.

O crime aconteceu às 14h35. Márcia foi baleada logo depois de sair da casa do pai, na Vila Mascote, zona sul. Ela dirigia um Citröen C-4 quando três homens em um outro veículo atiraram.

A enfermeira foi baleada na mão esquerda, no abdome e no queixo. "Eu estava na janela e vi minha filha ir embora. Assim que me afastei, ouvi os disparos" contou Rogério.

Cirurgias. Márcia foi levada para o Hospital Santa Marina, no Jabaquara, e depois transferida para o Hospital Oswaldo Cruz, no Paraíso.

"Amanhã (hoje), ela passará por cirurgias para reconstituição do maxilar e retirada da bala alojada na mão", contou Marcelo Rogério, irmão da enfermeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.