Ex-marido mantém mulher refém por mais de 20 horas em Araçatuba (SP)

Prédio permanece cercado por policiais militares e pelo Gate, negociadores estão desde o final da tarde impedir um assassinato

Ricardo Valota, do estadão.com.br

02 Dezembro 2010 | 03h37

SÃO PAULO - O ex-guarda municipal Moacir Gonçalves de Oliveira, de 46 anos, mantém refém, desde às 11 horas de quarta-feira, 1, a ex-mulher, Márcia Westpal Mello, de 41 anos, dentro do Centro de Especialidades Odontológicas da Prefeitura de Araçatuba, no interior paulista.

Localizado na Rua Saldanha Marinho, o prédio permanece cercado por policiais militares da 1ª Companhia do 2º Batalhão do Interior e do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate). Os agentes especializados em negociações chegaram ao local por volta das 17 horas.

Portando uma arma de fogo e duas garrafas pet com gasolina, Oliveira, que estaria inconformado com o fim da união do casal, ameaça botar fogo no local e matar Márcia. Carregando uma mochila, o ex-guarda chegou à clínica no final da manhã e entrou numa das salas onde Márcia estava, trancando-se com ela. Os demais funcionários, ao perceberem o que ocorria, saíram do prédio e acionaram a PM.

Até às 7h40 desta manhã, o ex-guarda municipal permanecia irredutível, segundo informações da PM.

(Matéria atualizada às 7h45)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.