Ex-jogador é preso por estupro em SP

Fabinho Fontes foi detido em flagrante acusado de abusar de menina de 5 anos; pais davam carona a ex-atleta e flagraram violência

WILLIAM CARDOSO, O Estado de S.Paulo

06 Março 2012 | 03h03

O ex-jogador de futebol Fabio Roberto Teixeira Fontes, o Fabinho, de 37 anos, foi preso em flagrante acusado de tentar estuprar uma menina de 5 anos, na madrugada de ontem, na zona sul de São Paulo. Ele foi flagrado pelos pais da vítima, chegou a ser agredido e, até as 20h, permanecia detido.

Fabinho participou no domingo de uma partida do time de veteranos do Corinthians em Taboão da Serra, na Região Metropolitana. O pai da vítima, um homem de 40 anos, e a mãe, uma contadora de 41, também estiveram no jogo.

Depois da partida, houve uma confraternização entre os atletas. Na hora de ir embora, Fabinho pediu carona ao pai da menina até a zona leste de São Paulo.

Nos bancos da frente estavam sentados o pais da criança. Fabinho ficou no banco de trás, ao lado da menina. No meio do caminho, a mulher notou uma movimentação estranha no banco traseiro, com Fabinho tentando puxar a menina para o seu colo. A mãe então avisou o pai sobre o que estava acontecendo.

O homem pediu que a filha desse um abraço na mãe, para afastá-la de Fabinho. Desconfiado, ele colocou a mão para trás e notou que o jogador estava com a calça abaixada. Revoltado, ele contou à polícia que tirou Fabinho do carro e passou a agredi-lo, na altura do antigo prédio do Detran (atual Museu de Arte Contemporânea), na Avenida 23 de Maio, na Vila Mariana. Policiais militares que passavam pelo local notaram a briga.

O pai contou o que tinha acontecido e Fabinho foi levado para o pronto-socorro do Hospital Vergueiro, onde foi atendido. Logo depois, todos foram para o 27.º DP (Moema), onde o ex-jogador foi autuado em flagrante.

Antes de ser agredido, o jogador teria tentado se justificar. "Tanto o pai quanto a mãe disseram que ele pediu desculpas assim que o carro parou, logo que descobriram o que estava acontecendo. Além disso, ele teria confessado para eles que fez aquilo mesmo. Disse que foi algo que aconteceu no momento", disse o delegado Armando Bélio, titular do 27.º DP. Questionado pela polícia, porém, ele preferiu ficar em silêncio.

O ex-jogador permanecia detido na carceragem do 26.º DP (Sacomã), para onde foi transferido, e não tinha advogado até a noite. Ele deveria ser transferido posteriormente para o Centro de Detenção Provisória (CDP) 2, em Pinheiros, na zona oeste da capital. Na tarde de ontem, a menina passou por exames no Hospital Pérola Byington.

O treinador do time, Wagninho Rivera, disse que não sabe o que aconteceu depois que foi embora do local de partida. "Depois do jogo, foi todo mundo embora e ficaram o Fabinho e o Gilmar Fubá, que saiu de lá às 21h. O Fabinho permaneceu e depois disso não sei o que aconteceu. Isso nos entristece. É um fato isolado e ele deverá arcar com o que fez, se ficar comprovado."

Histórico. No início da carreira, nos anos 1990, Fabinho Pontes se destacou no time de juniores do Corinthians, como um meio-campista de futuro promissor. Foi campeão da Copa São Paulo da categoria em 1995, mesmo ano em que foi transferido para o time principal, fazendo parte do elenco que levantou o título paulista daquele ano. Entre os titulares, teve poucas oportunidades e foi negociado.

Depois, atuou em times do interior de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Norte e Nordeste, e em pequenos clubes do exterior, mas nunca mais conseguiu ganhar destaque. Ele pendurou as chuteiras em 2009. / COLABOROU CAMILA BRUNELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.