Ex-jogador do Corinthians é preso suspeito de abusar de menina de 5 anos

Fábio Fontes disse que só falará em juízo e deve ser transferido para presídio em Pinheiros

Ítalo Reis, estadão.com.br

05 Março 2012 | 16h05

SÃO PAULO - O ex-jogador do Corinthians Fábio Teixeira Fontes, de 37 anos, foi preso na madrugada desta segunda-feira, 5, acusado de abusar sexualmente de uma menina de 5 anos, filha de um casal amigo, na zona sul de São Paulo. Ele deve ser transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Pinheiros, na zona oeste.

De acordo com o boletim de ocorrência, feitos pelos pais da suposta vítima, Fontes estava numa partida do master do Corinthians em Taboão da Serra, na Grande São Paulo, e pediu uma carona para o casal de amigos, pais da criança. Ele foi no banco traseiro com a menina. No caminho, segundo a versão dos pais, a mãe percebeu algo acontecendo no banco traseiro e avisou o marido, que teria flagrado o abuso.

O homem parou o carro na Avenida 23 de Maio e começou a agredir Fontes. Uma viatura da Polícia Militar interveio. Ferido, o ex-atleta foi levado para atendimento no Hospital Vergueiro e, em seguida, todos foram para a delegacia.

Fábio Fontes foi indiciado por estupro de vulnerável e deve permanecer detido, já que o crime é inafiançável. "Ele diz que só vai falar em juízo e não deve sair daqui (prisão). Os depoimentos dos pais foram bastante contundentes e a menina diz que sentiu ele mexendo nela. Ele também pediu desculpas ao casal", disse o delegado do 27.º Distrito Policial (Campo Belo), Armando Bellio.

Segundo a Secretaria se Segurança Pública (SSP), foi solicitado exame físico para a vítima, que foi encaminhada para o Hospital Pérola Byington. Também foi requisitado exame de corpo de delito para o ex-jogador, que está detido na 2ª Central de Flagrantes.

Fabinho Fontes foi meia do Corinthians na década de 90. Formado no clube, o jogador apareceu como promessa da categoria de base, mas fracassou no time profissional. A assessoria do clube diz que não tem contrato com o ex-atleta e, por isso, não teria motivo para se posicionar sobre o assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.