Ex-goleiro nega ter mandado matar babá

A 13 dias de ser julgado pela participação na morte da modelo Eliza Samudio, com quem teve um filho, o ex-goleiro Bruno Fernandes prestou depoimento ontem sobre o assassinato da babá Graziele Souza, ocorrido em janeiro de 2011, em Ribeirão das Neves (MG), onde ele tem um sítio. Três suspeitos ligaram Bruno ao caso. Eles disseram que o goleiro encomendou o crime da babá de um de seus filhos. No depoimento, Bruno negou conhecer a vítima. O delegado Márcio Rocha disse que, "a princípio", não há indícios de participação dele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.