Evelson de Freitas/AE
Evelson de Freitas/AE

Ex-Febem, Parque do Belém será aberto amanhã

Terreno de 210 mil m² na zona leste terá quadras, teatro e Fábrica de Cultura; também há planos para criar uma biblioteca em 2013

EDISON VEIGA, O Estado de S.Paulo

22 de junho de 2012 | 03h06

O terreno de 210 mil metros quadrados que por mais de 100 anos foi endereço de jovens infratores em recuperação se transformou em área verde cheia de equipamentos culturais. Será inaugurado amanhã o Parque Estadual do Belém, no mesmo local onde funcionou a "Febem da Celso Garcia", na zona leste da capital paulista.

O projeto consumiu R$ 37 milhões de investimentos do governo estadual. O parque nasce com dois anos de atraso em relação ao cronograma inicial, anunciado em 2009. Naquela época, um terço da área já estava aberto a frequentadores - com aspecto, entretanto, de uma área abandonada entre as ruínas da Febem, desativada em 2005.

As cerca de 400 árvores que já existiam na área foram preservadas e ganharam a companhia de outras 1,3 mil mudas. O parque também terá quadras para práticas esportivas, ciclovia e pista de cooper. Dois quiosques devem funcionar como lanchonetes - após a inauguração, será aberta uma concorrência para as empresas que se interessarem em explorar o espaço.

Dois espaços serão administrados pela Secretaria de Estado de Cultura: um teatro e uma Fábrica de Cultura - a décima do projeto, uma espécie de centro cultural que oferece cursos e atividades artísticas e culturais para jovens. "Começa a funcionar imediatamente", determina o secretário adjunto da Cultura, Sérgio Tiezzi. "Mas é claro que as atividades podem ser adaptadas, nos primeiros meses, de acordo com o perfil do público da região."

O espaço que por mais de 100 anos foi ocupado por jovens infratores agora terá um espaço dedicado a cultura e arte para jovens. Mais ou menos como foi feito no Parque da Juventude, mesmo local onde funcionou a Casa de Detenção do Carandiru. Desde 2010, ali está a Biblioteca São Paulo, a mais moderna do Estado.

E há planos para que o Parque do Belém também tenha uma biblioteca pop, para o ano que vem. "Vamos utilizar um prédio que foi um dos pavilhões da Febem e criar ali uma parecida à que funciona no Parque da Juventude", promete Tiezzi. "Já temos o projeto. É provável que inauguremos no ano que vem." Aí, com cultura, esportes e lazer, a Febem da Celso Garcia será passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.