Ex-comandante de UPP é preso por tráfico

Segundo a Polícia Federal, capitão da PM recebia propina de traficantes do Morro do São Carlos; soldado também participava do esquema

PEDRO DANTAS / RIO, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2012 | 03h03

A Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE) da Polícia Federal prendeu ontem no Rio 11 pessoas, inclusive o ex-comandante e um ex-soldado da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do São Carlos, no Estácio (zona norte), por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Segundo a PF, o capitão da PM Adjaldo Luiz Piedade recebeu até R$ 15 mil por semana durante seis meses e negociava diretamente com o traficante Sandro Luiz de Paula Amorim, o Peixe.

As investigações que resultaram na Operação Boca Aberta começaram no ano passado. Segundo a PF, o comandante deslocava o policiamento para facilitar a venda de drogas. Os pagamentos ao capitão eram feitos em espécie e sempre às segundas-feiras. O esquema funcionou de maio a outubro de 2011, quando o capitão foi transferido para o Departamento-Geral de Pessoal da PM, após denúncias de corrupção.

No entanto, de acordo com a PF, a intimidade do capitão com o traficante era tanta que os contatos telefônicos com o criminoso continuaram. "Em uma das conversas, o traficante sugeriu que o comandante afastado fosse para o Batalhão de Polícia de Macaé porque conhecia muita gente naquela cidade", afirmou o delegado da DRE Fábio Andrade. Peixe foi preso quando fugia da Favela da Rocinha escoltado por policiais, em novembro do ano passado.

O soldado Alexandre Duarte de Oliveira se apresentava ao tráfico como "representante do comandante". Ele também foi flagrado em escutas telefônicas. Nas gravações, o policial combinava o recebimento da propina e até pedia pequenas quantidades de maconha. O soldado atuou com o comandante no Morro do São Carlos e atualmente estava lotado na UPP do Morro da Fallet, em Santa Teresa (região central). Oliveira foi preso em casa com uma arma ilegal calibre 380.

O delegado titular da DRE, João Luiz Caetano de Araújo, afirmou que há indícios do envolvimento de outros policiais da UPP do São Carlos com traficantes e disse que repassou as informações para a Secretaria de Segurança do Rio para mais investigações.

Os demais presos ontem são traficantes do São Carlos, detidos em diferentes locais do Rio.

Segundo caso. Este foi o segundo grande escândalo de corrupção em uma UPP. Em setembro de 2011, a PM determinou o afastamento do comandante e do subcomandante da UPP da Coroa, Fallet e Fogueteiro.

A medida foi tomada após a prisão em flagrante de três policiais da unidade com R$ 13,4 mil em um carro. A investigação revelou que 30 PMs recebiam mensalmente do tráfico valores entre R$ 400 e R$ 2 mil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.