Estadão
Estadão

Ex-chefe de segurança da USP diz que há falhas na Faculdade de Medicina

À CPI, Ana Lucia Pastore citou como exemplo fato de FMUSP não ser monitorada pela guarda universitária, pois tem pessoal próprio

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

28 Janeiro 2015 | 18h03

A ex-chefe de segurança da Universidade de São Paulo (USP), Ana Lucia Pastore, afirmou nesta quarta-feira, 28, que há diversas falhas de segurança na Faculdade de Medicina da instituição (FMUSP). Ela foi exonerada do cargo nesta semana, após retornar de um período de recesso. Ana Lucia, que é docente da universidade no Departamento de Antropologia, depôs à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)  instalada na Assembleia Legislativa para apurar os casos de violência em universidades paulistas.

De acordo com ela, a unidade não pode receber nenhum tipo de monitoramento da guarda universitária, pois possui segurança própria. Por isso, afirmou a professora, imagens de vídeos das festas ficariam acessíveis somente aos funcionários da própria FMUSP, "É uma coisa muito interna."

Ana Lucia afirmou que, a pedido do diretor da Faculdade de Medicina, José Auler Júnior, solicitou ao reitor da universidade, Marco Antonio Zago, que desse acesso à superintendência de segurança no local. Ela afirmou que também pediu a demissão do chefe da segurança da unidade. "Ele disse que isso era um problema do diretor da unidade", afirmou ela, que acredita que o pedido pode ter influenciado em sua demissão. "Pedi ajuda ao reitor e não houve essa ajuda." 

Mais conteúdo sobre:
USP estupros na USP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.