Ex-capelão da PM é condenado a 26 anos por desviar dinheiro de fiéis

A investigação apurou que o coronel Osvaldo Palópito se apropriou de pelo menos R$ 2 milhões da Capelania Militar

O Estado de S. Paulo

18 de outubro de 2016 | 22h56

O Tribunal de Justiça Militar (TJM) condenou o coronel da PM Osvaldo Palópito, que é padre da Igrejas Católica e dirigia a Capelania da corporação, a 26 anos de prisão por crimes de peculato, falsidade ideológica, exercício de comércio por oficial e abandono de posto. A decisão aconteceu na segunda-feira. Ele poderá recorrer em liberdade.

Segundo a Promotoria, ele montou um esquema de corrupção para desviar dinheiro dos fiéis. A investigação apurou que ele se apropriou de pelo menos R$ 2 milhões da Capelania Militar. Ele era responsável pela paróquia de Santo Expedito, na Luz, no centro.

Ele foi solto em outubro do ano passado após ficar quatro meses na cadeia. Segundo o promotor Marcelo de Oliveira, o esquema começou em 2009. "A sentença apenas comprova as provas dos autos sobre os crimes praticados". A defesa do coronel não foi localizada.

 

Mais conteúdo sobre:
Santo ExpeditoLuz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.