Ex agride e mantém mulher em cárcere por três dias em Guarulhos

Homem foi preso pela Polícia Militar e vai responder pelos crimes; ele não teria aceitado término de relacionamento

Adriana Ferraz, O Estado de S.Paulo

10 Julho 2016 | 19h53

SÃO PAULO - Uma mulher de 26 anos foi mantida em cárcere privado pelo ex-companheiro, dentro de sua própria casa, no bairro Taboão, em Guarulhos. Segundo a Polícia Militar, o auxiliar mecânico Rodrigo Groggia Martins, de 32 anos, foi preso em flagrante neste sábado, 9, depois que policiais, acionados pela mãe da vítima, encontraram a balconista com as mãos e pernas amarradas no sofá e com sinais de tortura. Ela também teve os cabelos raspados pelo criminoso.

Martins planejou o crime. O suspeito foi procurar a ex em seu trabalho e pediu a ela a chave de sua casa emprestada, para que ele pudesse passar um tempo lá. De acordo com o site G1, isso ocorreu na quinta-feira, 7. Quando a balconista entrou na casa, já desconfiou da situação, já que o mecânico estava com uma máquina de cortar cabelos em mãos. Ao questioná-lo, recebeu duas coronhadas na cabeça e desmaiou. Quando acordou, já estava imobilizada. Foi quando começaram as sessões de tortura, com socos, tapas e chineladas. Em determinado momento, o mecânico usou a máquina e raspou os cabelos da vítima.

De acordo com a PM, Martins, que não aceitava o fim do relacionamento de 12 anos com a balconista, ainda voltou à padaria onde a mulher trabalha e ameaçou o dono do estabelecimento, que também foi agredido fisicamente. Ele acreditava estar sendo traído pelos dois. Segundo o boletim de ocorrência, parte da tortura praticada pelo mecânico contra a ex foi gravada por ele com um celular. As imagens serão usadas durante a investigação.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o caso foi registrado como sequestro, lesão corportal, cárcere privado, violência doméstica e tortura. O crime será investigado pelo 7ºdp de Guarulhos.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULOPolícia Militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.