Evento celebra os 140 anos da Convenção de Itu

Casarão que reuniu opositores da Monarquia em ato que se tornou um dos embriões da República vai receber exposições e palestras

EDISON VEIGA, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2013 | 02h01

Na próxima quinta-feira, 18 de abril, comemora-se os 140 anos da Convenção de Itu, um dos embriões da República. O episódio, ocorrido na cidade do interior de São Paulo, reuniu 133 opositores da Monarquia - na maioria, cafeicultores - no casarão onde morava Carlos Vasconcelos de Almeida Prado e sua família. Entre os ilustres participantes, estava o jornalista, político e jurista Francisco Rangel Pestana (1839-1903) - que dois anos mais tarde fundaria este jornal, sob o nome A Província de São Paulo.

Para celebrar a efeméride, o Museu Republicano Convenção de Itu, que funciona no mesmo imóvel histórico onde a reunião ocorreu, prepara uma série de eventos. Haverá palestras, exposição, exibição de filme, sarau, entre outras atividades, do dia 18 ao dia 25.

"Trata-se de um tema muito central para nós. O museu é focado na história cultural do século 19, mas a Convenção Republicana está no nosso cerne, é a própria razão de ser do museu", comenta Heloisa Barbuy, supervisora da instituição.

História. A Convenção de Itu foi a primeira convenção republicana do Brasil. Na ocasião, foi aprovada a criação de uma assembleia de representantes republicanos, que se reuniria em São Paulo. Dali surgiu o primeiro partido republicano organizado de fato (o Partido Republicano Paulista), que depois se aliaria aos partidos de Minas e do Rio, assim como aos outros setores descontentes com a monarquia, como a Igreja e os militares. "Era um contexto em que vários clubes republicanos vinham sendo fundados", comenta a supervisora Heloisa.

O sobrado do século 19 onde ocorreu a convenção mudou de dono mas permaneceu no imaginário paulista. Da quatrocentona família Almeida Prado acabou adquirido, em 1921, pelo governo estadual. Dois anos mais tarde, foi transformado em museu - dedicado à memória da causa republicana.

Administrado pela USP, o espaço em Itu teve de ser fechado em abril de 2007, com problemas estruturais. O museu foi reaberto ao público em 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.