EUA mudam regras de visto para facilitar entrada de brasileiros

Quem quer renovar permissão, além de idosos e crianças, serão dispensados de entrevista no consulado; espera deve cair para 3 semanas

GUSTAVO CHACRA , CORRESPONDENTE , NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

20 de janeiro de 2012 | 03h05

Prevendo um crescimento de 274% no total de brasileiros em visita aos EUA nos próximos quatro anos, o presidente Barack Obama determinou a eliminação da necessidade de novas entrevistas para brasileiros que apenas queiram renovar vistos expirados ou com datas próximas do vencimento. O programa-piloto ainda facilita a concessão de vistos para algumas categorias, como idosos e crianças.

Segundo determinou a Casa Branca, ao menos 80% das pessoas devem ser entrevistadas no máximo até três semanas depois de enviar os documentos para o consulado. Com isso, será ampliada em 40% a capacidade de concessão de vistos nos consulados americanos no Brasil ainda neste ano. O anúncio de Obama foi feito ontem, no Walt Disney World, na Flórida.

Além dos brasileiros, os chineses e os indianos são as prioridades do governo americano com essas mudanças. "Esperamos que dezenas de milhares de pessoas tentando o visto sejam beneficiadas no Brasil e na China. Com essas medidas, as pessoas que já passaram por entrevistas poderão economizar tempo e dinheiro, decidindo visitar os Estados Unidos mais uma vez. Além disso, poderemos nos concentrar nos que tentam o visto pela primeira vez", afirmou comunicado conjunto do Departamento de Estado e do Departamento de Segurança Interna dos EUA.

Segundo Jay Carney, porta-voz da Casa Branca, "o foco do presidente são as economias emergentes". "O número de viajantes para os EUA de cidadãos de economias com crescente classe média, como China, Brasil e Índia, deve crescer 135%, 274% e 50% até 2016, com base nos números de 2010. Há uma enorme oportunidade (para o governo americano)", disse. As medidas de Obama fazem parte de um amplo programa do governo para aumentar o turismo nos Estados Unidos, que representa 2,7% do PIB e 7,5 milhões de empregos.

Em novembro do ano passado, os Estados Unidos já haviam informado que pretendem emitir 1,8 milhão de vistos para brasileiros em 2013, mais do que dobrando o total de 2010, de 820 mil. Na época, Donald Jacobson, ministro-conselheiro do governo americano para assuntos consulares no Brasil, afirmou que o crescimento na demanda por vistos se deve à robusta economia brasileira. "O real está forte e os brasileiros têm vindo aos EUA", afirmou. O Brasil, depois da China, é o segundo país com maior demanda por vistos.

Espera. O governo americano tem feito o possível para reduzir o tempo de espera nos consulados no Brasil. Uma das medidas foi a abertura dos postos em horário extra - neste sábado, haverá mutirão em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.