EUA criticam Brasil por tráfico sexual

CORRESPONDENTE

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2011 | 00h00

WASHINGTON

O governo brasileiro foi duramente criticado ontem pelos Estados Unidos por sua "negligência" ao lidar com o tráfico de pessoas para a prostituição e o trabalho escravo, ao longo do ano passado. Produzida pelo Departamento de Estado, a versão de 2011 do Relatório sobre Tráfico de Pessoas critica o fato de o Brasil não estar "totalmente comprometido com a adoção dos padrões mínimos para a eliminação" desse crime, destaca a frequente impunidade e recomenda condenações mais pesadas para infratores.

"O Brasil é um país fonte de homens, mulheres e crianças submetidos ao tráfico sexual dentro e fora do País, assim como é fonte para o trabalho escravo dentro de suas fronteiras", resumiu o relatório. "Poucos condenados estão cumprindo pena em prisões e não houve registro de condenações por crime de tráfico sexual no País (em 2010)", informou. O relatório menciona a presença do tráfico para fins sexuais em 26 Estados brasileiros e no Distrito Federal e estima que há 250 mil crianças submetidas à prostituição no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.