''Eu preciso desacelerar. Em SP, não dá''

No começo, a possibilidade de trocar São Paulo por uma cidade mais pacata ficava apenas nas conversas entre a empresária Silvana Santoliquido Davini, de 54 anos, e seu marido.

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2011 | 00h00

"Ele sempre quis muito mais que eu ir para o interior. Em 2007, compramos um terreno em Itu e vamos nos mudar até o fim do ano", diz. Moradora da Vila Madalena, na zona oeste, ela trabalha em Taboão da Serra, na Região Metropolitana. Gasta três horas por dia para ir e voltar do escritório. "Não sobra tempo para nada. Não estou mais a fim disso tudo. Eu preciso desacelerar. Em São Paulo, não dá."

Em busca de qualidade de vida, há quase dez anos a professora de História Valquiria Coelho Ferrari, de 72 anos, trocou a capital paulista por Jundiaí, no interior de São Paulo. O que pesou na decisão foi a saúde. Ela, que é baiana, se mudou para a capital em 1989. Por problemas respiratórios, teve de procurar uma cidade com o "ar mais puro", conta. Conheceu Jundiaí e se apaixonou. "A infraestrutura daqui é ótima. Temos ótimos hospitais, supermercados e salões de beleza maravilhosos, além de boas academias."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.