Eu amo essa passagem

"Esses muros mostram a força do grafite"

Filipe Vilicic, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2010 | 00h00

Buraco da Paulista: Passagem para a Avenida Paulista, tem grafites de Tinho e de artistas como Rui Amaral

O grafiteiro Walter Nomura, o Tinho, é paulistano, da zona norte. Foi nessa área que, aos 12 anos, ele começou a pichar muros. "Era anos 80, fim da ditadura, com o hip-hop surgindo", lembra. "Tinha essa onda de ter gangues e marcar território com pichações." Aos 13, ele começou a grafitar. Hoje, aos 36, é um dos brasileiros de maior expressão no ramo, com exposições nos Estados Unidos e na Inglaterra. Após dois anos sem se apresentar por aqui, ele estreou ontem uma mostra na Cartel011, em Pinheiros. Quando pensa em São Paulo, logo destaca que ama o "Buraco da Paulista", passagem entre a Doutor Arnaldo e a Avenida Paulista. "Os grafites dali representam a força que essa arte tem na cidade", afirma ele, que pintou um mural lá na companhia de dois colegas. /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.