FELIPE RAU/ESTADAO
FELIPE RAU/ESTADAO

Estudo aponta Ibirapuera melhor parque da cidade; São Paulo terá app para avaliar espaços

Infraestrutura, manutenção e segurança serão considerados; 77 equipamentos fizeram parte da pesquisa

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2020 | 05h00

SÃO PAULO - O Parque Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, aparece no topo da lista dos melhores parques da cidade. Isso é o que mostra o Indicador de Parques Urbanos de São Paulo 2019, que avaliou 77 equipamentos do tipo na capital paulista. Em seguida, estão o Parque Estadual Villa-Lobos e o Parque Municipal do Povo, ambos na zona oeste, e os Parques do Chuvisco e do Jardim Herculano, na zona sul. Do total avaliado, 71 estão no ranking. Fechados ou inacessíveis no período da avaliação, seis parques não receberam nota.

Em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o estudo foi desenvolvido pela Fundação Aron Birmann, que também disponibilizará na segunda-feira, 9, um aplicativo para a população avaliar a situação desses espaços verdes. O indicador terá duas versões: uma feita por técnicos da fundação e da Prefeitura e outra que será feita pelos munícipes. 

"A ideia é justamente dar voz aos visitantes para que façam suas críticas, apresentem suas sugestões e sejam ativos para a transformação destes ambientes. E para os gestores dos parques entenderem quais são os pontos que precisam ser melhorados", disse Rafael Birmann, presidente da Fundação Aron Birmann.

Com o app, os munícipes já poderão registrar suas opiniões, que serão compiladas no fim do ano e os resultados apresentados no começo de 2021. 

A ferramenta também permitirá aos usuários fazerem uma reclamação pontual. "Um dispositivo que a pessoa poderá fazer queixa específica. Teremos a função também de criar um canal de comunicação entre a população e gestor do parque. E acompanhar o andamento do processo", afirmou Birmann.

Já o estudo será lançado sempre no início de cada ano com as avaliações feitas pelos técnicos no último trimestre do ano anterior. O primeiro levantamento, divulgado nesta quinta-feira, 5, apresenta dados reunidos entre outubro e dezembro do ano passado. 

Inaugurado em 1954, o Ibirapuera é um dos principais parques da cidade, com maior fluxo de visitantes. Tem área de 1,584 milhão de metros quadrados. Segundo a avaliação considerada ótima (4,49) pelos técnicos da Fundação Aron Birmann, a maioria dos espaços, equipamentos e serviços, está em bom estado de conservação. Só o lago apresenta sinais de falta de oxigenação, o que pode prejudicar a fauna local. 

"A pessoa poderá avaliar, por exemplo, a qualidade dos banheiros, dará um ponto de um a cinco. Serão os mesmos itens avaliativos dos profissionais envolvidos no projeto, mas sem uma metodologia tão rígida", ressaltou o presidente da fundação.

Inaugurado em 2007, o Parque Juliana Carvalho Torres, na Cohab Raposo Tavares, na zona oeste, apareceu em última colocação, com conceito muito ruim (1,63). Segundo a avaliação, itens básicos, como bebedouros e lixeiras, são constantemente alvos  de vandalismo. Além disso, há só um funcionário de manejo para cuidar do parque, que tem área de 54.384 metros quadrados. 

O formulário de avaliação reúne quatro áreas. Nelas são avaliadas 21 categorias, com 82 perguntas no total - respondidas com sim ou não. A nota final varia de 0 a 5, com classificação final de muito ruim para ótimo. Confira a seguir as categrias:

  1. Infraestrutura básica: mobilidade urbana, sanitários, acessibilidade, playground, equipamentos esportivos, entre outros.
  2. Manutenção e conservação das áreas sociais e naturais: áreas verdes, pavimentação, sinalização, entre outros.
  3. Segurança: atendimento, equipe, prevenção de acidentes, entre outros.
  4. Gestão e programação cultural e de lazer: funcionários (atendimento), atividades culturais e lazer, entre outros.

Neste ano, só um parque urbano estadual (Villa Lobos) foi avaliado com os municipais. O próximo estudo reunirá parques municipais e estaduais. Além disso, nos próximos indicadores também entrarão os parques naturais (preservação da fauna e flora silvestre) e os parques lineares (proteção de margens, córregos e rios), administrados pelo Município e também pelo governo paulista.   

"Nossa ideia é fazer o levantamento com todos os parques de São Paulo, não somente os urbanos. Como a avaliação dos (parques) lineares é um pouco diferente com relação à natureza dos espaços, resolvemos deixar para este ano. Passaremos para mais de 120 parques analisados e que fazem parte da vida do paulistano", acrescentou  o presidente da Fundação Aron Birmann.

Para o secretário da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Castro, o aplicativo interativo mostrará o status de qualidade dos parques, assim como incentivará o usuário a dar sua avaliação. “Esperamos que sua contribuição nos auxilie no planejamento de ações capazes de aprimorar cada vez mais os nossos parques", disse.    

Pelo acordo firmado, a fundação fornecerá o estudo anualmente pelos próximos cinco anos, podendo o período ser prorrogado por mais cinco. A ferramenta estará disponível para download  na Apple Store e também no Google Play, gratuitamente.

Frequentadores elogiam parque mais famoso da cidade

Há três anos, a chef de cozinha Paula Camara, de 35 anos, frequenta o Ibirapuera. "Venho para patinar e acompanho meu filho, que tem 7 anos, e vem para andar de bicicleta. Gostamos do parque. Os banheiros são limpos, o playground ao lado da Marquise foi reformado recentemente. Porém, a comida poderia ser melhor e há interdições na Marquise, por causa de infiltrações, que deveriam passar por manutenção o quanto antes".

Para o professor de Educação Física Anderson Almeida, de 36 anos, o Ibirapuera é melhor parque urbano da cidade. "Pelo espaço, dá para praticar qualquer esporte, como patins, bike, basquete, tem espaço para crianças e área para piquenique. Também encontramos seguranças sempre que precisamos".

Nesta quarta-feira, 4, o Estado visitou o local. Mesmo com ameaça de chuva muitas pessoas passeavam e praticavam esportes. Seguranças faziam ronda a pé e de bicicleta, enquanto uma equipe da manutenção cuidava do playground ao lado da Marquise.

Pela primeira vez em São Paulo, a maquiadora Vanessa Thauane, de 20 anos, que veio de Brasília, elogia o Ibirapuera. "É um dos primeiros pontos turísticos que lembramos quando falamos de São Paulo. De zero a dez, avalio com nota oito. Há alguns locais que precisam ser reformadas, mas a paisagem é muito bonita e bem organizada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.