JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Estudantes lotam São Joaquim após 22 h

Estação recebe 21% do total de usuários no fim da noite. Metrô colocou mais catracas

NATALY COSTA, BRUNO RIBEIRO, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2012 | 03h03

A Estação São Joaquim do Metrô já se consolidou como a líder do "turno dos estudantes". Dos 56 mil usuários por dia que recebeu no mês passado, 21% embarcaram após as 22 horas no chamado "terceiro horário de pico", que coincide com o término das aulas. No entorno da parada, há três universidades e dois cursinhos pré-vestibulares.

As consequências de muita gente reunida durante um único horário são óbvias: longas filas nas catracas, nas escadas e lotação nas plataformas. Por causa disso, o Metrô adotou uma série de estratégias para amenizar o problema. Instalou mais duas catracas na estação para acelerar a entrada, mas, eventualmente, precisa reduzir o número de roletas em funcionamento para evitar o acúmulo de passageiros nas plataformas.

A situação é parecida com a da Estação Paulista da Linha 4-Amarela, quando, nos horários de pico, as esteiras e as escadas rolantes precisam ser desligadas para não provocar acidentes, tamanha a quantidade de gente tentando passar ao mesmo tempo.

Em toda a malha, o "terceiro horário de pico", que motivou essas mudanças na São Joaquim, registrou crescimento de 4% no número médio de usuários diários em 2011 em comparação a 2010. O período após as 21 horas recebeu média de 10 mil pessoas a mais por dia. São 301 mil usuários, no total, em um período de quatro horas - isso equivale ao total de pessoas transportadas, em média, pela Linha 1-Azul aos domingos, por exemplo.

Fantasmas. Outra medida foi adotada para atender a demanda extra. Mais seis "trens fantasmas", composições que passam vazias direto por algumas estações para aliviar a demanda nos pontos com mais passageiros, como a Sé, já estão em funcionamento desde o ano passado depois das 22 horas na Estação São Joaquim.

Segundo a companhia, a maior parte dos usuários desse horário faz viagem até a Sé para então seguir em direção à zona leste da cidade. Cerca de dois terços dos estudantes embarcam depois desse horário.

Lotação geral. A situação da São Joaquim tem piorado e, já no primeiro semestre de 2010, a parada era o ponto mais lotado de toda a malha do Metrô à noite. Dos 44 mil passageiros diários recebidos, 16% eram estudantes que entraram na parada depois das 22 horas. De um modo geral, ao se contar todo o horário de funcionamento do Metrô, a São Joaquim, porém, fica apenas em 16.º lugar no ranking de estações mais lotadas da Linha 1-Azul - ela tem 23 ao todo.

Vantagem. Em 2010, o Metrô já havia ampliado o número de trens em operação, de 79 para 86 nas Linhas 1-Azul e 3-Vermelha.

Segundo a companhia, a vantagem do pico dos estudantes, na comparação com os horários de pico da manhã e da tarde, é que, nos dois primeiros, a rede opera em sua capacidade máxima. No terceiro turno ainda há margem para ampliar a capacidade de transporte da rede e, desse modo, reduzir a superlotação.

O Metrô começou a divulgar ações para aliviar a lotação do pico dos estudantes a partir de 2006. As estações que mais recebem usuários nesses horários - Bresser-Mooca, Palmeiras-Barra Funda, Liberdade e São Joaquim - têm juntas 22 instituições de ensino ao redor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.