José Patricio/Estadão
José Patricio/Estadão

Estudantes fazem 4º ato do mês contra cortes no passe livre

Manifestantes percorreram diversas ruas do centro da capital paulista; protesto foi pacífico

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2017 | 21h30

SÃO PAULO - Estudantes secundaristas da cidade de São Paulo protestaram pela quarta vez neste mês na tarde desta quinta-feira, 24, contra as mudanças no passe livre estudantil, que passaram a valer em 1º de agosto. 

O protesto começou às 17h na região da Praça da República e seguiu para a Praça João Mendes, para o Páteo do Colégio, Viaduto do Chá e para o Vale do Anhangabaú, informou a Polícia Militar.

Um grupo também passou pela Avenida 23 de Maio. O sentido Santana da avenida foi interditado por volta das 19h, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Já o Viaduto do Chá foi interditado em ambos os sentidos por volta das 20hs. A Polícia Militar informou que não registrou nenhuma ocorrência. 

Em 3 de agosto, estudantes iniciaram o protesto no Largo da Batata, em ato que também interditou a Faria Lima e a Marginal Pinheiros. No dia 11, ocuparam ruas da região central e da zona oeste da capital. No dia 17 de agosto, saíram da Av. Paulista e caminharam até a Prefeitura. Em julho, também houve dois protestos contra as alterações. 

O que mudou. Desde 1º de agosto, os alunos passaram a ter direito a duas cotas de viagem, cada uma com validade de duas horas e direito de embarcar em até quatro ônibus. Cada aluno terá de 10 a 48 cotas mensais conforme a necessidade de presença exigida pelo curso escolhido. Antes, os estudantes tinham direito a fazer oito viagens gratuitas a cada 24 horas. 

A Prefeitura diz que a mudança foi feita porque alguns estudantes usavam o passe livre para outros fins e espera economizar R$ 70 milhões com a medida. A São Paulo Transporte (SPTrans) estima que há cerca de três milhões de bilhetes estudantis em uso na cidade. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.