Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Estudantes de Medicina vão refazer grafite apagado na Paulista

Grupo também se comprometeu a fazer uma ação conjunta entre grafiteiros e estudantes com famílias carentes da Baixada do Glicério

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2014 | 17h32

Atualizada às 20h19

SÃO PAULO - A Prefeitura de São Paulo informou ter entrado em acordo com estudantes de Medicina da USP para refazer um grafite apagado no túnel de acesso entre as Avenidas Paulista, Rebouças e Doutor Arnaldo. Os próprios alunos que apagaram o mural vão bancar a nova intervenção, no valor de R$ 50 mil.

No fim de setembro, estudantes apagaram o desenho feito por grafiteiros autorizados pela Prefeitura. No lugar, fizeram a divulgação da festa Show Medicina. A pintura é feita anualmente desde 1991 em muros ao lado da faculdade. Em nota oficial, os alunos afirmaram estar arrependidos.

“Lamentamos profundamente o ocorrido e gostaríamos de nos desculpar com os artistas envolvidos, com a Coordenadoria da Juventude, a Faculdade de Medicina e a sociedade paulistana como um todo.” 

Os alunos se encontraram com representantes da Coordenadoria da Juventude e com grafiteiros na Prefeitura de São Paulo. O grupo se comprometeu a fazer uma ação conjunta entre os artistas e estudantes de Medicina com famílias carentes na região da Baixada do Glicério, no centro paulistano. Haverá programação com grafiteiros e consultas gratuitas para os moradores do bairro.

Episódio. O grafite apagado havia sido contratado pela Prefeitura e sua realização fazia parte do Festival de Direitos Humanos: Cidadania nas Ruas de São Paulo, ocorrido em dezembro de 2013. Entre os artistas que realizaram a obra estão Binho, Presto, Bonga, Snek, Chivitz, Minhau, Crânio, Eco, Tinho, Bieto, Nick, Feik, Tikka, Nem, Locones, Choras, Romário, Tribo, Raul, Graphis, Mauro, Lipe e Tchê.

Na época, a Coordenadoria da Juventude classificou a atitude dos estudantes de “arbitrária” e chegou a ameaçá-los com multa por infração à Lei Cidade Limpa - a divulgação da festa não tinha autorização anterior da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU).

Agora, os estudantes vão bancar os custos para a pintura de um novo mural com os recursos obtidos com a realização da festa Show Medicina.

Tudo o que sabemos sobre:
Avenida PaulistaMedicinaUSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.