Estudantes ateiam fogo em sala de aula e riscam carros de professores em Bauru

Autor do incêndio alegou ter colocado fogo na cortina para protestar contra o fato de a Polícia Militar ter entrado na unidade; alunos envolvidos no incidente têm entre 12 e 15 anos

Chico Siqueira, O Estado de S.Paulo

27 Março 2013 | 19h19

ARAÇATUBA - Alunos da escola estadual professor Christino Cabral, no jardim Estoril, em Bauru, danificaram oito carros de funcionários e professores e atearam fogo na cortina de uma sala de aula, na tarde da última terça-feira. Os veículos estavam estacionados em frente da escola, quando os professores foram avisados de que um grupo de alunos estava riscando seus carros.

A Ronda Escolar foi chamada, mas quando atendia a ocorrência, outro aluno ateou fogo na cortina dentro da sala de aula. O professor percebeu quando os alunos começaram a sair da sala apressados e sentiu um cheiro de fumaça. O aluno autor do incêndio disse que colocou fogo na cortina para protestar contra o fato de a PM ter entrado na escola.

Dois estudantes de 12 anos foram identificados pela polícia como possíveis autores dos danos nos carros dos professores, um deles não estudava na escola. Outro estudante, de 15 anos, também foi detido por colocar fogo na cortina. Os pais foram chamados e todos foram levados para a Delegacia da Infância e da Juventude (Diju).

A Delegacia de Ensino divulgou nota considerando os atos inadmissíveis e informando que a direção da escola chamou os pais dos alunos para conversar e pedir empenho deles na conscientização dos filhos sobre 'boas práticas de cidadania'. Segundo a diretoria de Ensino, a equipe gestora da escola fará um acompanhamento dos estudantes e o Conselho da Escola vai se reunir com a Promotoria de Justiça para estudar medidas contra os alunos.

Mais conteúdo sobre:
Bauru PM escola incêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.