Estudante é morto em escola; polícia diz que foi ''acerto de contas'' com tráfico

JABOATÃO DOS GUARARAPES

, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2010 | 00h00

Um dia após o assassinato do estudante Ricardo Daniel Cabral, de 17 anos, no pátio externo da escola Bernardo Vieira de Melo, em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife, a Secretaria de Estado de Educação declarou ontem que o crime "não se caracteriza como violência escolar" e responsabilizou a "violência urbana" pelo ocorrido. A polícia acredita que o homicídio foi um acerto de contas com traficantes. O estudante era usuário de drogas e, segundo a família, tinha dívidas relativas ao consumo de entorpecentes. O crime ocorreu por volta das 19h30 de quinta-feira, quando o adolescente chegava para assistir aula. Um primo de Ricardo que se identificou apenas como Galego disse que é comum a entrada de pessoas armadas na escola. A delegada Patrícia Domingues confirmou que, em depoimento, alunos, professores e funcionários reclamaram da insegurança no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.