Estudante baleado em assalto perto da PUC recebe alta

Bruno Pedroso Ribeiro, de 23 anos, levou um tiro no pescoço depois de um ladrão roubar seu celular perto da universidade, em Perdizes, na zona oeste; ele estava internado há duas semanas

Felipe Tau, O Estado de S. Paulo

28 Maio 2013 | 14h24

SÃO PAULO - O estudante de 23 anos da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) baleado no dia 14 em um assalto em Perdizes, na zona oeste, deixou o Hospital das Clínicas (HC) nessa segunda-feira, 27. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da unidade, onde Bruno Pedroso Ribeiro passou por uma cirurgia para a retirada do projétil. O tiro atingiu o seu pescoço.

O assalto aconteceu próximo ao câmpus da PUC, durante a noite, e o suspeito fugiu de moto após o crime. O caso é investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). A Secretaria de Segurança Pública foi procurada por volta das 13h50, mas ainda não informou o status das investigações.

Segundo a polícia, o estudante, que cursa Relações Internacionais, foi atingido após entregar o celular ao bandido, na altura do número 292 da Rua João Ramalho. Pedestres chamaram a Polícia Militar, que chegou minutos depois.

Mesmo assim, o jovem esperou quase meia hora para ser socorrido. De acordo com a TV Globo, os policiais não resgataram o rapaz, seguindo a polêmica norma da Secretaria de Segurança Pública que os impedia de fazer o primeiro atendimento a vítimas de crimes - uma nova resolução, de 21 de maio, autorizou o socorro em caso de demora ou da indisponibilidade do atendimento médico. O jovem foi levado ao HC pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Mais conteúdo sobre:
estudante baleado puc alta

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.