TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ / ESTADÃO

Estrutura do Tobogã, no Pacaembu, começa a ser demolida para reforma de complexo

O maquinário deu início ao processo de derrubada do setor, que deverá dar lugar a um edifício multifuncional a ser construído em até 28 meses. Concessionária detém outorga do complexo esportivo pelos próximos 35 anos

Pablo Pereira, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2021 | 16h49

A estrutura do Tobogã, no Pacaembu, começou a ser demolida nesta terça-feira, 29, pela Concessionária Allegra Pacaembu, detentora da outorga do complexo pelos próximos 35 anos. O maquinário deu início ao processo de derrubada do setor, que deverá dar lugar a um edifício multifuncional a ser construído em até 28 meses. 

Pela manhã, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), participou de solenidade no estádio, marcando a abertura dos trabalhos de renovação do complexo esportivo Paulo Machado de Carvalho, conforme o Estadão antecipou nesta terça-feira

A obra, autorizada agora, foi alvo de decisão judicial de 31 de março, quando uma liminar impediu o início da reforma sob alegação de que a intervenção no conjunto preservado feria o patrimônio histórico ao prever a derrubada do Tobogã, a arquibancada construída em 1970, 30 anos depois da inauguração do Pacaembu. Mas uma nova decisão, do último dia 16 de junho, anulou a anterior.

A autorização para a reforma foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial do Município. A concessionária detém a outorga desde 25 de janeiro do ano passado, por um prazo de 35 anos, e a obra deve durar de 24 a 28 meses, num investimento de cerca de R$ 400 milhões.

O estádio, inaugurado em 27 de abril de 1940, passará por uma recuperação e modernização de instalações, respeitando a área de preservação do patrimônio histórico. “Nosso desejo é manter viva a história do Pacaembu e essa obra será executada com todo zelo e respeito ao patrimônio, orientada para o futuro, iniciando uma nova fase desse ícone de São Paulo”, afirmou Eduardo Barella, CEO da concessionária, ao detalhar o projeto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.