Sem acesso. Pedestre caminha pela Avenida Olavo Fontoura, ao lado de calçadas isoladas
Sem acesso. Pedestre caminha pela Avenida Olavo Fontoura, ao lado de calçadas isoladas

Estrutura da Indy vira obstáculo para pedestres

Um dia após corrida, muita gente teve de andar na rua por causa de calçadas e pontos de ônibus inacessíveis

William Cardoso, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2011 | 00h00

Calçadas interditadas, sacos de lixo, pontos de ônibus inacessíveis, sinalização de solo inexistente e uma faixa a menos para quem trafega na Marginal do Tietê foram problemas enfrentados por quem circulou ontem pela região do Anhembi, na zona norte, um dia após a prova da Fórmula Indy. Também ontem, o Ministério Público Estadual questionou a Prefeitura sobre os transtornos causados no trânsito.

As calçadas no Anhembi estão parcialmente bloqueadas por guardrails, blocos de concreto e alambrados. Sem orientação, pedestres caem em uma "arapuca" no trecho em frente ao Hotel Holliday Inn, na Avenida Olavo Fontoura. Como a calçada da via está fechada em uma das extremidades, o pedestre é obrigado a retornar por onde veio. Na Marginal do Tietê, a calçada está fechada por completo na altura do sambódromo. "Tenho de dar voltas para achar a saída. É uma vergonha", disse o segurança Carlos Brito, de 66 anos, que trabalha no Pavilhão de Exposições.

Gerente de um posto de gasolina no entroncamento da Marginal com a Olavo Fontoura, Joseckson Silva Oliveira, de 36, diz que o estabelecimento teve queda de 70% no movimento com a Indy. "Deixaram apenas uma pequena entrada pela Marginal. É estreita demais, difícil para o motorista entrar", disse.

Ontem, motoristas que trafegaram pela Marginal na área próxima ao Anhembi andaram em marcha lenta. O trecho entre as Pontes das Bandeiras e da Casa Verde era feito a uma velocidade de 20 km/h, por volta das 13h. A máxima permitida no local é de 70 km/h. Também não havia sinalização horizontal no local.

Promotoria. São justamente os problemas causados no trânsito que fizeram o promotor Fernando Bolque pedir esclarecimentos à Prefeitura sobre os transtornos causados pela corrida. "A Marginal ficou parada na segunda. Veremos se existem justificativas para o que aconteceu. Podemos sugerir uma mudança de trajeto para o ano que vem."

A Prefeitura diz que a retirada dos alambrados é prioridade e está sendo feita desde ontem. Afirma ainda que problemas referentes aos pontos de ônibus e ao lixo serão resolvidos e a sinalização horizontal será concluída até o dia 10. Quanto ao MP, a administração diz que vai prestar os esclarecimentos necessários.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.